Miss√Ķes: Pastor √© for√ßado a cavar buracos oito horas por dia em pris√£o, na Coreia do Norte

Postado em: 19-12-2016 Imagem redimensionada

Diplomatas do Canad√° fizeram uma rara visita √† Coreia do Norte nesta semana. Eles foram ver o pastor canadense que est√° cumprindo uma senten√ßa de pris√£o perp√©tua por subvers√£o. As informa√ß√Ķes s√£o de um oficial do minist√©rio das Rela√ß√Ķes Exteriores.

Hyeon Soo Lim, que serviu em uma das maiores igrejas do Canad√°, foi condenado a trabalhar de forma exaustiva pela sua vida em dezembro de 2015. A Coreia do Norte disse que ele estava tentando derrubar o regime local.

Chantal Gagnon, porta-voz do ministro canadense de Rela√ß√Ķes Exteriores, Stephane Dion, confirmou um relat√≥rio da ag√™ncia de not√≠cias KCNA da Cor√©ia do Norte que disse que os diplomatas visitaram o pa√≠s de ter√ßa a quinta-feira e viram Lim.

"N√≥s ainda estamos muito preocupados com a sa√ļde dele, al√©m de seu bem-estar e sua pris√£o perp√©tua. Estamos trabalhando ativamente para garantir sua liberta√ß√£o", disse ela. "Este caso √© uma prioridade para n√≥s", acrescentou, recusando-se a dar detalhes da sa√ļde de Lim.

Em uma declaração, a igreja de Lim, em Toronto, disse que "esperamos que este seja um sinal positivo de que veremos o Reverendo Lim em liberdade muito em breve".

O Canad√° estabeleceu rela√ß√Ķes diplom√°ticas com Pyongyang em 2001, mas congelou-as em 2010. Ottawa agora diz que s√≥ falar√° com a Coreia do Norte sobre seguran√ßa regional, direitos humanos e casos consulares.

A igreja disse que Lim visitou a Coréia do Norte mais de 100 vezes desde 1997 e ajudou a montar um orfanato e uma casa de repouso. Lim, que tem 60 anos, passa oito horas por dia cavando buracos em um campo de trabalho onde não vê outros prisioneiros.

Confissão forçada

Em agosto passado, Lim foi for√ßado a confessar diante de c√Ęmeras que cometeu crimes contra o Estado. Sua confiss√£o tamb√©m foi acompanhada pela congrega√ß√£o da Igreja Pongsu de Pyongyang (Coreia do Norte). Lim foi mais tarde condenado a um regime de trabalhos for√ßados na cadeia, durante uma audi√™ncia realizada em 16 de dezembro de 2015.

Fonte: Guia-me