FG News: Mesmo após a Reforma, 20% dos alemães apoiam unidade entre católicos e protestantes

Postado em: 16-02-2017

No pa√≠s onde aconteceu a hist√≥rica Reforma Protestante h√° 500 anos, as igrejas cat√≥licas e protestantes est√£o caminhando rumo √† unidade. Um em cada cinco crist√£os protestantes da Alemanha apoiam a unifica√ß√£o de suas congrega√ß√Ķes com a Igreja Cat√≥lica Romana.

Imagem redimensionadaNovos esfor√ßos t√™m sido feitos para incentivar a unidade entre protestantes e cat√≥licos na Alemanha, de acordo com o site Evangelical Focus. Em setembro do ano passado, as mais altas autoridades de ambas as igrejas assinaram um documento se comprometendo a celebrar o 500¬ļ anivers√°rio da Reforma em um ano ecum√™nico, onde cat√≥licos e protestantes iriam "confessar a Jesus Cristo juntos".

Dois mil alem√£es foram entrevistados pela ag√™ncia de not√≠cias evang√©licas ‚ÄúIdea‚ÄĚ. Cerca de 20% das pessoas se disseram a favor da reunifica√ß√£o das igrejas, enquanto 18% disseram que n√£o. Al√©m disso, 17% preferiu n√£o responder e, a maioria (45%) respondeu que n√£o se importa com o rumo dessa quest√£o.

Dentre as pessoas que se identificaram como cat√≥licos, 66% apoiam a cria√ß√£o de uma institui√ß√£o unida. No entanto, a maioria dos membros (59%) da Igreja Evang√©lica da Alemanha se op√Ķem a tal movimento.

No dia 11 de março será realizado um culto de reconciliação, no qual as igrejas protestantes e católicas se pedirão perdão. O “ato ecumênico de penitência e reconciliação" será realizado na cidade alemã de Hildesheim.

O engano do ecumenismo

De acordo com uma pesquisa feita pela LifeWay Research, 40% dos pastores protestantes americanos afirmam ter uma visão mais positiva sobre a Igreja Católica depois da liderança do Papa Francisco.

Para Ed Stetzer, diretor da LifeWay, observar o apoio ao papa vindo de pastores protestantes, que surgiram após a Reforma Protestante, é algo contraditório. "A pesquisa mostra, de fato, o resultado do 'Efeito Francisco', já que ele é apoiado pelo grupo de pessoas nomeadas para protestar contra a própria fé conduzida pelo papa."

"Os precursores dos atuais pastores protestantes ‚ÄĒ Lutero, Wesley, Spurgeon e muitos outros ‚ÄĒ certamente n√£o veriam o papa como seu 'irm√£o em Cristo'. Dentro de alguns s√©culos, o papa passou de 'anticristo' para 'irm√£o em Cristo' para muitos protestantes", alertou Stetzer.

De acordo com o pastor Bruno dos Santos, o movimento ecum√™nico promovido pelo pont√≠fice apresenta mensagens de toler√Ęncia, paz e humanidade, mas √© contr√°rio ao governo de Jesus Cristo.

"No ecumenismo, Jesus Cristo perde a sua posição de Cabeça da Igreja, pois o Vaticano diz que a mãe de todas as igrejas cristãs é a Igreja Católica Romana e que o seu cabeça é o Papa. Ele pode mudar até o que Jesus e seus apóstolos ensinaram", explica o pastor.

"O ecumenismo dep√Ķe da posi√ß√£o de Cristo como √ļnica fonte de salva√ß√£o. Se uma igreja que cr√™ e prega que s√≥ a F√© em Cristo √© que salva, misturar-se a outra que cr√™ e prega que algo mais √© necess√°rio para 'completar, assegurar ou garantir' a salva√ß√£o, como poder√£o conciliar posi√ß√Ķes t√£o distintas?", questiona.

Fonte: Guia-me