Tecnologia: Criminosos usam cupom de desconto para aplicar golpe

Postado em: 10-03-2017

Descontos de at√© R$ 2.000 reais est√£o sendo anunciados como se fossem promo√ß√Ķes das lojas Extra, Dafiti, Americanas e Casas Bahia com o objetivo de obter informa√ß√Ķes pessoais. De acordo com a PSafe, empresa brasileira de seguran√ßa, os criminosos usam usam esses dados para causar preju√≠zos financeiros aos usu√°rios.

Imagem redimensionadaA propaganda falsa diz que, para ganhar, √© preciso que o participante cadastre suas informa√ß√Ķes pessoais - nome, CPF, data de nascimento, e-mail e at√© endere√ßo para futura entrega do cupom.

Após o preenchimento, o usuário tem de responder a mais algumas perguntas, como: "Você quer ganhar dinheiro com seu carro?" Dependendo da opção selecionada, ele é direcionado para páginas de terceiros.

A cada acesso, os hackers ganham dinheiro, explica a PSafe. E, caso o usuário não clique em nenhum critério de perguntas do site, ele é instruído a cadastrar seu celular em um serviço de SMS pago.

Com as informa√ß√Ķes pessoais em m√£os, os cibercriminosos est√£o aptos a realizar diversas a√ß√Ķes que podem causar preju√≠zos financeiros ao usu√°rio, como se passar por ele no cadastramento de servi√ßos de SMS pagos ou outros servi√ßos baseados em CPF.

"Identificamos que os hackers criaram mais de mil sites diferentes contendo esse golpe para dificultar o bloqueio", dizem especialistas da PSafe.

Os sites contendo a fraude foram colocados em blogs, aplicativos e sites de conte√ļdo adulto.

"Caso algum deles seja denunciado, há outros funcionando e impactando ainda mais usuários. Além disso, eles se aproveitaram da popularidade de grandes marcas para atrair as vítimas", diz Emilio Simoni, gerente de Segurança da PSafe.

Veja dicas para se proteger:

Desconfie de promo√ß√Ķes exageradas

Quando a promoção não for anunciada nos canais oficiais da marca ou redirecionar o usuário para outras páginas, desconfie. Se mesmo assim quiser participar, certifique-se de que a promoção é real, ao entrar em contato diretamente com a empresa. Nunca disponibilize dados pessoais ou propague links antes de fazer esta checagem.

Foi afetado? Evite o prejuízo

Caso o usuário ainda não tenha um antivírus instalado no celular e tenha caído no golpe, ele deve desinstalar o app malicioso, baixar um antivírus e fazer uma varredura. Caso tenha sido cadastrado em algum programa pago de SMS, deve entrar em contato com a operadora e solicitar o cancelamento do falso serviço.

Fonte: UOL Tecnologia