FG News: Igreja Universal Ă© condenada a indenizar idosa que quebrou o fĂȘmur durante culto

Postado em: 19-04-2017 Imagem redimensionada

A Igreja Universal do Reino de Deus foi condenada a indenizar em R$ 10 mil uma idosa de entĂŁo 86 anos que quebrou o fĂȘmur durante uma cerimĂŽnia religiosa, ocorrida em fevereiro de 2013. A decisĂŁo ocorreu no dia 29 de março na 6ÂȘ Vara CĂ­vel de Osasco, por determinação da juĂ­za Mariana Horta Greenhalgh. O incidente ocorreu em um templo do bairro Jardim Baronesa, em Osasco.

“É inegĂĄvel que os fatos narrados ensejaram, alĂ©m da lesĂŁo fĂ­sica, sofrimento e angĂșstia Ă  autora, tendo em vista as fortes dores oriundas da fratura do fĂȘmur e o comprometimento de seus movimentos, pelo que restam configurados os danos morais”, escreveu a magistrada na decisĂŁo.

O advogado EliĂ©l de Carvalho conta que Maria de Lourdes Souza de Oliveira, de 90 anos, estava na primeira fileira do culto quando ocorreu o ritual de “libertação de demĂŽnios”, durante o qual o pastor a teria derrubado enquanto “exorcizava” um fiel. Segundo ele, a aposentada precisou ser submetida a uma cirurgia e sofreu sequelas que a impedem de se locomover sem o uso de cadeiras de rodas.

Em nota, a Igreja Universal afirmou ter agido “com responsabilidade com a vĂ­tima do acidente, prestando todo o apoio”. “Repudiamos, porĂ©m, o juĂ­zo baseado em total ausĂȘncia de provas, do qual pretendemos recorrer Ă s instĂąncias superiores”, escreveu.

A versĂŁo Ă©, contudo, contestada por Carvalho, o qual diz que a idosa foi levada para atendimento mĂ©dico por amigos da famĂ­lia e que a igreja nĂŁo prestou qualquer tipo de ajuda no momento do incidente ou em ocasiĂ”es posteriores – mesmo ela sendo frequentadora hĂĄ 24 anos. De acordo com ele, por nĂŁo ter condiçÔes financeiras de arcar com despesas na rede privada, todo o seu tratamento foi realizado no Sistema Único de SaĂșde.

Ainda segundo o advogado, a família da vítima deve recorrer da sentença para aumentar a indenização. “Entendemos que ela foi boa, mas que esse valor não significa nada para uma instituição do tamanho da Universal. O dano moral tem um poder punitivo. Nesse caso, teria que ser uma indenização de no mínimo R$ 100 mil”, afirma.

Fonte: Isto É