FG News: R√ļssia considera Testemunhas de Jeov√° 'extremistas' e pro√≠be sua atua√ß√£o no pa√≠s

Postado em: 20-04-2017

A R√ļssia proibiu as Testemunhas de Jeov√° de atuarem no pa√≠s, depois que a Suprema Corte decidiu que os adeptos da religi√£o fazem parte de uma "seita extremista".

Imagem redimensionada"O Supremo Tribunal decidiu sustentar a reivindica√ß√£o do minist√©rio da Justi√ßa da R√ļssia e considerou o 'Centro Administrativo das Testemunhas de Jeov√° na R√ļssia' uma organiza√ß√£o extremista, e proibindo suas atividades na R√ļssia", disse o juiz Yuri Ivanenko.

"A propriedade da organização das Testemunhas de Jeová deve ser confiscada e entregue ao Estado", acrescentou.

Uma advogada do Minist√©rio da Justi√ßa, Svetlana Borisova, disse que as Testemunhas de Jeov√° "representam uma amea√ßa aos direitos dos cidad√£os, √† ordem p√ļblica e √† seguran√ßa p√ļblica".

Os juízes ordenaram o fechamento da sede russa do grupo e 395 sedes locais, bem como a apreensão de suas propriedades (templos e terrenos).

Os advogados das Testemunhas de Jeov√° disseram que apelariam da decis√£o do Tribunal, que ainda n√£o entrou em vigor e poderiam levar o caso ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

"Faremos o possível", disse Sergei Cherepanov, representante das Testemunhas de Jeová no país, segundo a agência de notícias Interfax.

Seu centro administrativo, que tem 175.000 membros, havia sido previamente suspenso em mar√ßo sob acusa√ß√Ķes de "atividade extremista".

Contexto

As Testemunhas de Jeov√°, que s√£o conhecidas por sua atividade com prega√ß√Ķes de porta em porta e pela distribui√ß√£o de literaturas com mensagens teol√≥gicas, rejeitam algumas cren√ßas fundamentais do cristianismo e t√™m mais de 8,3 milh√Ķes de membros em todo o mundo.

Originado nos Estados Unidos, o grupo religioso gerou certa "pol√™mica" com rela√ß√£o a posi√ß√Ķes oficias como a rejei√ß√£o de transfus√Ķes de sangue e a oposi√ß√£o ao servi√ßo militar, enfrentando processos judiciais em v√°rios pa√≠ses.

Representantes disseram que centenas de pessoas se reuniram na Suprema Corte russa para ouvir o caso, que foi julgado em seis dias, resultantes de uma d√©cada de "a√ß√Ķes agressivas".

David Semonian, porta-voz da sede mundial da religi√£o em Nova York, disse que o Minist√©rio da Justi√ßa "n√£o tem base" para suas reivindica√ß√Ķes.

Ele disse que a proibição colocaria os membros sob ameaça de processo criminal, se decidissem simplesmente orar juntos e que isso é uma "violação dos direitos humanos básicos".

As Testemunhas de Jeov√° registraram-se pela primeira vez como grupo religioso na R√ļssia em 1991 e voltaram a registrar-se em 1999, mas foram alvo repetidamente das autoridades numa ampla repress√£o √† liberdade religiosa.

A R√ļssia mudou sua defini√ß√£o legal de extremismo em 2006, eliminando os requisitos para a viol√™ncia ou o √≥dio, mas apontando o "incitamento da ... disc√≥rdia religiosa" como crit√©rio, deixando as Testemunhas de Jeov√° com o mesmo status legal do Estado Isl√Ęmico ou nazistas.

O site internacional do grupo foi bloqueado na R√ļssia h√° dois anos por suposto "extremismo" e a distribui√ß√£o das 'B√≠blias' do grupo proibidas no ano seguinte, enquanto um presidente local da religi√£o foi preso por dois anos sob a acusa√ß√£o de disseminar uma "literatura extremista" em 2010.

A Organiza√ß√£o de Seguran√ßa e Coopera√ß√£o na Europa (OSCE) foi um dos √≥rg√£os internacionais que condenou uma "campanha de ass√©dio e maus-tratos, patrocinada pelo Estado contra as Testemunhas de Jeov√°", que data dos anos 90 na R√ļssia.

O √≥rg√£o enumerou as buscas policiais, assaltos, ataques de inc√™ndios criminosos, vandalismos, apreens√Ķes e ataques a cultos, bem como a pris√£o de v√°rios membros e investiga√ß√Ķes criminais.

Fonte: Guia-me