Tecnologia: Facebook estaria planejando encarar YouTube, Netflix e TVs tradicionais

Postado em: 26-05-2017 Imagem redimensionada

J√° faz tempo que o Facebook hospeda v√≠deos em sua plataforma, mas a rede social de Mark Zuckerberg parece ter planos de ir muito mais longe. M√ļltiplas fontes familiarizadas com a situa√ß√£o contaram √† Reuters que a empresa est√° em negocia√ß√£o com sites como BuzzFeed, Vox e ATTN para criar programas de v√≠deo exclusivos para a rede social.

As fontes, que pediram para n√£o ser identificadas porque as negocia√ß√Ķes s√£o confidenciais, disseram que os programas ter√£o dois formatos diferentes. Alguns ser√£o shows roteirizados, com dura√ß√£o de 20 a 30 minutos e intervalos comerciais, e o Facebook ser√° o propriet√°rio desses conte√ļdos; outros ser√£o de propriedade dos pr√≥prios criadores, ter√£o de cinco a dez minutos de dura√ß√£o com comerciais n√£o especificados e poder√£o ser roteirizados ou n√£o.

Pelos programas do primeiro tipo, a rede social pagará até US$ 250 mil por episódio. Os mais curtos, por sua vez, custarão de US$ 10 mil a US$ 35 mil ao Facebook. Nos dois casos, a plataforma ficará com 45% da receita gerada com publicidade, com o resto indo para os criadores. A estratégia é semelhante à usada pela Netflix e pela Amazon para comprar programas para suas plataformas de streaming (com a diferença de que elas não mostram comerciais).

A TV do futuro

N√£o √© a primeira vez que o Facebook d√° ind√≠cios de que pretende se transformar na TV do futuro. Al√©m de j√° possuir uma grande quantidade de v√≠deos e de conte√ļdo ao vivo, a rede social vem testando, por exemplo, a transmiss√£o ao vivo de partidas de esportes tradicionais - incluindo futebol - e de campeonatos de eSports, at√© mesmo com √°udio em portugu√™s.

Essas medidas seriam uma maneira de a rede social disputar a aten√ß√£o dos usu√°rios com outros servi√ßos de v√≠deo, como o YouTube, a Netflix e, naturalmente, os canais tradicionais de televis√£o. O YouTube j√° vem investindo na produ√ß√£o de conte√ļdo original por meio do YouTube Red, e a Netflix tamb√©m investe na cria√ß√£o de s√©ries e document√°rios originais, at√© mesmo no Brasil.

Mas o objetivo ao atrair mais atenção dos usuários seria, no final das contas, obter mais dinheiro de publicidade. Para os anunciantes, quanto mais pessoas assistem a vídeos em uma plataforma - e quanto mais tempo elas ficam -, mais interessante é anunciar nela.

Fonte: Olhar Digital