FG News: Após censo religioso, deputado pede afastamento do comandante da Guarda Municipal

Postado em: 12-08-2017 Imagem redimensionada

Ap√≥s o pol√™mico question√°rio sobre a religi√£o de agentes da Guarda Municipal (GM), o deputado estadual √Ātila Nunes (PMDB) solicitou nesta sexta-feira (11), ao Minist√©rio P√ļblico, que a Inspetora Tatiana Mendes, comandante da GM, seja afastada do cargo devido √†s suas atitudes.

De acordo com Nunes, ‚Äútudo que pode induzir para a religi√£o da igreja da comandante ou, em √ļltima an√°lise, para o princ√≠pio religioso do prefeito, est√° sendo feito‚ÄĚ pela inspetora. O deputado comentou ainda que montantes de jornais da igreja Universal s√£o distribu√≠do nas depend√™ncias da prefeitura.

Em nota, a Prefeitura do Rio declarou que n√£o existe cunho religioso na atual gest√£o e que o prefeito Marcelo Crivella n√£o tinha conhecimento sobre o censo, porque a guarda municipal √© uma autarquia e tem autonomia para as decis√Ķes internas. A Guarda Municipal tamb√©m negou as pr√°ticas religiosas citadas pelo agente e pelo deputado √Ātila Nunes.

Apesar disso, o deputado criticou a falta de posicionamento do prefeito Marcelo Crivella e diz que seria impossível a GM realizar o questionário por conta própria e o prefeito não ter conhecimento disso.

‚ÄúO que mais nos surpreende √© o sil√™ncio ensurdecedor do prefeito Crivella. Parece at√© que ele est√° fora do pa√≠s, est√° desaparecido. Primeiro d√° uma desculpa: ‚Äėeu n√£o sabia disso‚Äô. Como √© que n√£o sabia disso? Voc√™ acha que algu√©m da Guarda Municipal teria peito de fazer um censo religioso sem a autoriza√ß√£o expl√≠cita do prefeito, que √© religioso, que √© da Universal‚ÄĚ, questionou, indignado.

Al√©m da comandante da Guarda Municipal, √Ātila tamb√©m criticou o secret√°rio de ordem p√ļblica Paulo Am√™ndola. ‚Äú[Ele] se referiu, ontem, ou antes de ontem, na imprensa, aos seguidores dos cultos afro-brasileiros, umbanda, candombl√©, esp√≠rita, como macumbeiros, que √© uma express√£o pejorativa, como se voc√™ chamasse por exemplo, os evang√©licos de crentes, isso √© pejorativo. Isso √© ofensivo, isso √© injurioso‚ÄĚ, comentou.

Um agente da Guarda Municipal que n√£o quis se identificar contou que a comandante faz at√© sess√Ķes de exorcismo em alguns guardas municipais.

‚ÄúO que eu vejo hoje s√£o exorcismos. Teve um amigo, pessoa bem pr√≥xima, que ele saiu constrangido do gabinete ela. Ele p√īs as m√£os na cabe√ßa dele e falou que ele estava endemoniado. Isso a√≠ foi algo chocante, porque eu n√£o compreendi, porque eu sou evang√©lico e n√£o gosto de misturar religi√£o com administra√ß√£o p√ļblica. Isso a√≠ fere todo princ√≠pio crist√£o meu e o princ√≠pio da administra√ß√£o p√ļblica.

Fonte: G1