O presidente da Bolívia, Evo Morales, conversou nesta segunda-feira por cerca de 25 minutos com o papa Bento 16 no Vaticano. Durante o encontro, ele entregou uma carta na qual pede ao pontífice a abolição do celibato e a democratização da Igreja Católica.

“A igreja não tem que negar uma parte fundamental de nossa natureza como seres humanos, e deve abolir o celibato. Assim haverá menos filhos e filhas não reconhecidos por padres”, afirma Morales em sua carta.

O presidente boliviano divulgou a carta durante uma coletiva de imprensa celebrada ao término do encontro com o papa.

Morales também enfatiza em sua carta que “é imprescindível democratizar e humanizar sua estrutura clerical” e pede que as “mulheres possam ter as mesmas oportunidades que os homens para exercer plenamente o sacerdócio”.

Esta é a primeira vez que o presidente boliviano foi recebido no Vaticano pelo papa.

Morales surpreendeu na semana passada ao revelar pela primeira vez seu catolicismo.

“Quero falar a verdade: eu sou católico”, afirmou, apesar das relações tensas que seu governo mantém com a hierarquia católica boliviana.

Fonte: Folha Online