O pastor Jerry Falwell, um importante televangelista conservador e fundador do movimento que transformou a direita religiosa em uma potência política nos Estados Unidos, morreu nesta terça-feira, 15. Ele tinha 73 anos. O pastor já havia sido hospitalizado, por problemas cardíacos e pulmonares, por duas vezes, em 2005.

“As tentativas de ressuscitação não tiveram sucesso”, disse Ron Godwin, vice-presidente executivo da Liberty University, fundada por Falwell. Godwin não deu mais detalhes sobre o horário ou a causa da morte.

Falwell havia sido encontrado, inconsciente, na manhã desta terça-feira, por volta das 10h45 (hora local), depois de falhar em comparecer a uma reunião. Godwin diz não saber a causa do desmaio, mas disse que Falwell tinha “um histórico de dificuldades cardíacas”.

“Tomei o café da manhã com ele, e ele estava bem”, disse. “Ele foi ao escritório dele, eu fui ao meu, e eles o encontraram inconsciente”.

Falwell fundou a Moral Majority (Maioria Moral) em 1979. Ele usou o movimento cristão conservador para moldar a direita religiosa em uma força política, e se tornou a face visível da direita religiosa nos anos 80.

“Sua influência na política foi bastante importante porque ele ajudou a politizar evangélicos e outros grupos religiosos”, disse o historiador especializado em presidente americanos, Douglas Brinkley. “Ele estava pronto a se tornar uma força política importante.”

Política e igreja

Com milhões de eleitores filiados, a Maioria Moral ajudou a eleger Ronald Reagan para a Presidência e também a dar aos republicanos a maioria do Senado nos anos 1980.

Com 6,5 milhões de membros, a agremiação levantava a bandeira a favor de campanhas contra o aborto, o homossexualismo, a pornografia e o banimento de aulas de religião nas escolas. “Estremeço ao pensar como o país poderia estar se não tivéssemos a direita religiosa envolvida”, afirmou Falwell durante uma campanha política, em 1987.

Para o pastor a tolerância a estes “males sociais” eram sinais inequívocos de um “colapso” moral do país.

Ele oferecia a visão alternativa de uma sociedade fortemente cristã, na qual referências aos mandamentos de Deus estariam presentes nas escolas e nos edifícios públicos, e na qual se diluiria a separação de Igreja e Estado.

“Falwell foi um homem que devotou sua vida a servir sua religião e seu país”, disse o senador republicano John McCain.

No campo da política exterior, o pastor era favorável aos judeus, se opondo a qualquer desmonte de assentamentos em Israel, já que muitos cristãos evangélicos acreditavam que a segunda vinda de Jesus seria precedida pelo retorno dos judeus à Terra Prometida.

“Ele era um americano que construiu e liderou um movimento baseado em princípios fortes e fé”, disse o vice-governador de Massachusetts, Mitt Romney. “Nós sentiremos sua falta, mas o legado que ele deixou continuará devido à fé com a qual ele realizou seu trabalho.”

Larry Flynt

Em 1984, ele processou a revista Hustler, pedindo US$ 45 milhões de indenização por se considerar caluniado por uma sátira que o apresentava como um alcoólatra incestuoso. Um júri descartou a acusação de calúnia, mas lhe deu uma indenização de US$ 200.000 por danos morais.

Essa decisão foi derrubada pela Suprema Corte, em 1988, numa decisão histórica que considerou que sátiras pornográficas de figuras públicas são uma forma legítima de exercício da liberdade de expressão. O caso foi dramatizado no filme O Povo contra Larry Flynt, de 1996.

11/9 e Teletubbies

O pastor abandonou a Maioria Moral em 1987, dizendo-se cansado de servir como “pára-raios” e pretendendo devotar mais tempo a seu ministério religioso e à Liberty University. Mas suas manifestações públicas continuaram a atrair críticas – incluindo de outros evangelistas, desconfortáveis com o tom político de muitos de seus pronunciamentos.

Dias depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, Falwell essencialmente culpou gays, lésbicas, feministas e grupos liberais por atrair os ataques terroristas. Ele se desculpou mais tarde.

Em 1999, o pastor disse a uma conferência evangélica que o Anticristo é um judeu do sexo masculino e que já está, provavelmente, entre nós. Ele depois se desculpou por fazer o comentário, mas não por sustentar a crença.

Um mês depois, seu jornal, o National Liberty Journal, advertiu que um dos personagens do programa Teletubbies, Tinky Winky, era um modelo gay e um perigo para a moral das crianças.

A igreja que Falwell inaugurou se transformou em um império que engloba 22 mil membros, um programa de televisão de abrangência nacional e um colégio com 7,7 mil alunos: a Liberty University. Além disso, o pastor construiu colégios de ensino fundamental, creches e centros de reabilitação.

O pastor já havia sido hospitalizado, por problemas cardíacos e pulmonares, por duas vezes, em 2005.

Fonte: Estadão