Um jovem de 18 anos, que se converteu do hinduísmo ao cristianismo, faleceu no dia 12 de janeiro, quatro dias depois de ter sido encontrado ferido, próximo a uma estrada de ferro no Estado de Madhya Pradesh.

Cristãos afirmam que ele foi empurrado do trem por extremistas hindus.

Pessoas que passavam pelo local viram Bansi Lal, um trabalhador cristão, caído junto aos trilhos com um grave ferimento na cabeça, perto da estação de Bolai, no distrito de Shajapur, por volta das 19 horas do dia 8 de janeiro.

Bansi, que vinha do distrito de Dewas e freqüentava uma igreja doméstica, aceitou Cristo em 2004. Ele estaria regressando de um culto quando o incidente aconteceu.

Ele morreu antes que pudesse dar uma declaração à polícia ferroviária, que teria registrado o fato como um caso de suicídio.

O controlador da estação de Bolai, Chinmay Raí, disse ao Compass que, assim que foi informado do que havia acontecido, providenciou para que Bansi fosse levado a um hospital nas proximidades do distrito de Ujjain.

Chinmay Raí afirmou que Bansi tinha um ferimento profundo na cabeça e que estava inconsciente perto da linha do trem. Ele descarta a possibilidade de suicídio.

“O tipo de ferimento que ele apresentava e o modo como ele foi encontrado não sugerem que se trata de um suicídio”, disse.

A respeito da possibilidade de que Bansi tenha sido empurrado do trem, ele disse: “É difícil descobrir agora, já que somente ele poderia dizer o que realmente aconteceu”.

O controlador alegou que alguém no trem viu Bansi agarrado à porta. “Ele pode ter batido em um poste de sinalização e ter caído do trem”, supôs. Ele também informou que a polícia não o havia interrogado. A polícia ferroviária não pôde ser contatada para comentar o assunto.

Alta incidência de perseguição

Organizações cristãs, incluindo o Conselho Cristão da Índia (AICC, sigla em inglês) e o Conselho Global de Indianos Cristãos (GCIC, sigla em inglês), condenaram o incidente, alegando que extremistas hindus empurraram Bansi Lal do trem em movimento.

John Dayal, secetário-geral do AICC exigiu que as agências do governo fizessem uma investigação “completa” do caso, assim como as organizações de direitos humanos independentes. John Dayal disse que o caso se parece com “um assassinato e nada mais”.

Sajan George, presidente nacional do GCIC, disse que os cristãos estavam entristecidos pela trágica morte do jovem cristão.

“Esse ataque contra Bansi Lal deve ser condenado nos mais duros termos. Bansi havia recebido ameaças de grupos extremistas hindus anteriormente, e é lamentável que a polícia esteja alegando que esse é um caso de suicídio”, disse Sajan George.

A incidência de perseguição aos cristãos é alta em Madhya Pradesh, Estado governado pelo partido nacionalista hindu Bharatiya Janata (BJP).

O governo apresentou, em julho de 2006, um projeto fortalecendo as leis anticonversão, tornando obrigatório que o sacerdote e o “futuro convertido” notifiquem as autoridades da intenção de mudar de religião um mês antes da “cerimônia de conversão”.

Fonte: Portas Abertas