A morte do pastor evangélico Éder Castro de Oliveira, ocorrida no dia 20 de abril deste ano, no Bairro Jardim Anache, continua sem solução. O corpo do religioso foi encontrado carbonizado no porta-malas do automóvel da vítima.

Conforme o delegado do 2º DP, Carlos Alberto Ortiz, responsável pela investigação, a solução do crime caminha “devagar”. Ele adiantou que hoje, uma testemunha será ouvida em Rio Verde de Mato Grosso.

Anelina Conceição, última pessoa que teria sido vista com Éder Oliveira algumas horas antes do corpo ser encontrado foi ouvida em Campo Grande, no início do mês e posteriormente indiciada por co-autoria do crime.

A polícia informou que Gentil Bezerra da Silva, marido de Anelina e identificado como possível autor do bárbaro assassinato, ainda não foi localizado para depor. “Com certeza ele já deve estar fora de Campo Grande. Em princípio, ele pode ser o autor do crime”, afirmou o delegado.

Ortiz esclareceu que o depoimento das testemunhas apontadas por Anelina, que acontecerá hoje em Rio verde, pode descartar ou confirmar a participação da mulher no crime. “São várias pessoas em Rio Verde. Anelina alega que estaria na casa dessas pessoas quando o pastor foi morto queimado”, contou o policial.

Fonte: Correio do Estado