Uma exposição de fotos inaugurada em São Paulo destaca as práticas religiosas do vodu no Haiti. A mostra Haiti – Os Espíritos da Terra traz fotografias do espanhol Luis Alcalá Del Olmo, que passou quatro anos no país.

O fotógrafo afirma que seu principal objetivo foi acabar com o estereótipo que cerca o vodu, “criado por Hollywood”, do culto de rituais macabros como os bonecos repletos de alfinetes.

“Aquela imagem dos negros selvagens do Haiti (…) foi cultivada por Hollywood. Mas esta é uma religião que tem um folclore particular, como podem ter a religião católica, ou a religião budista, ou a muçulmana.”

Para o fotógrafo, assim como em todas as outras religiões, no vodu os devotos querem o mesmo: que seus entes queridos fiquem saudáveis, que todos fiquem em paz.

A exposição apresenta 60 imagens coloridas que abordam a cultura vodu, retratando fiéis em transe e em suas casas e santuários.

O vodu é uma tradição religiosa praticada por milhões de pessoas em todo o mundo, com suas raízes em tradições religiosas africanas.

O vodu é derivado de tradições originais africanas, assim como o candomblé, religião introduzida no Brasil por escravos.

“No Haiti não ouve uma mistura como no Brasil e em Cuba, então as tradições permaneceram muito mais fortes”, afirmou Del Olmo.

O fotógrafo afirma que não é “teólogo ou antropólogo”, mas pôde observar que o vodu é uma religião de sincretismo, tendo como base as tradições religiosas de adoração de fenômenos naturais e da própria natureza.

“(O vodu) vem da tradição de adoração da natureza – da areia, das árvores – misturada ao medo e ao terror da escravidão que veio da Igreja Católica, onde sempre há uma penitência e um castigo”, disse.

Porto Rico

O fotógrafo Luis Alcalá Del Olmo é repórter radicado em Porto Rico e tem se especializado em temas de pesquisa antropológica ligada às culturas populares.

Antes do projeto no Haiti, que durou de 1997 a 2001, ele fotografou os religiosos penitentes das Filipinas, entre outros países.

O fotógrafo afirma que a vida dos haitianos sempre foi dura, mesmo antes dos conflitos atuais.

“O vodu é visto como a única maneira (da população) de se recuperar (da vida difícil no país)”, afirmou.

A exposição Haiti – Os Espíritos da Terra já passou pela Bolívia, Colômbia, Venezuela, Porto Rico, Cuba e outros países caribenhos.

A exposição está em cartaz até 9 de setembro na Caixa Cultural, o centro Cultural da Espanha em São Paulo, na Praça da Sé, como uma parte de uma série de eventos e palestras sobre o Haiti.

Fonte: BBC Brasil