A Visão Nacional para a Consciência Cristã (Vinacc) encaminhou aos senadores uma carta aos senadores para que as ações que tramitam no Congresso Nacional não interfiram na liberdade de expressão de fé e culto.

O pastor paraibano Euler Faber Ferreira, de Campina Grande, presidente do Vinacc, explica que o propósito é defender a fé cristã.

“Diante dos últimos acontecimentos envolvendo o Congresso Nacional, onde se tem apresentado projetos que, se aprovadores forem, promoverá perseguição aos cristãos, a entidade entende que nenhuma ação do Congresso pode atingir direitos consagrados na atual Constituição”, disse.

Entre os projetos criticados pelos evangélicos, está a aprovação do projeto de lei que permite a união de pessoas do mesmo sexo. “Não concordamos com a prática homossexual, pois se o fizermos estaremos negando a nossa fé e quase 5 mil anos de história registrados nas Escrituras Sagradas”, disse.

A seguir, a íntegra da carta entregue aos senadores:

A Visão Nacional para a Consciência Cristã – VINACC, entidade cristã, interdenominacional, sem fins lucrativos ou políticos, que tem como objetivo promover o engrandecimento do indivíduo na sociedade e na família, bem como proporcionar uma consciência baseada nos valores cristãos em nossa nação, vem por meio desta mostrar sua preocupação em relação a PLC 122/2006 que se encontra na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal.

Entendemos que se faz necessário promover ações que venham a defender as minorias em nosso país, livrando-as de qualquer tipo de preconceitos ou descriminação, no entanto essas ações não podem atingir direitos consagrados em nossa Constituição, como a liberdade de Culto, de expressão e pensamento. Somos contrários a qualquer tipo de preconceito ou discriminação aos homossexuais, mas também não podemos correr o risco de sofrermos preconceito ou sermos discriminados, e até processados e presos por não concordarmos com a prática homossexual, pois se assim o fizermos estaremos negando a nossa fé e quase 5 mil anos de história registrados nas Escrituras Sagradas.

Solicitamos ao estimado senador que reflita acerca deste assunto, afim de não restringir o exercício da fé cristã, nem tampouco ser co-responsável pela fragilização da estrutura social e familiar da nossa tão sofrida nação brasileira.

Fonte: WSCOM Online