Movimentos sociais, entre eles grupos de gays, lésbicas e associações de esquerda, desfilaram ontem pelas ruas de Roma na terceira edição da manifestação “Não Vat”, contra a que consideram “ingerência” do Vaticano na política italiana.

Os manifestantes, mais de mil, segundo a Polícia, percorreram as ruas de Roma com cartazes e slogan nas quais se criticava o fato de o Vaticano se “intrometer” no debate aberto no país sobre a legislação dos casais de fato, a fecundação assistida ou o aborto.

A iniciativa surgiu há três anos por parte do movimento “Facciamo breccia”, que liderou a manifestação com um cartaz com o dizer: “Laicismo, autodeterminação, antifascismo, liberação e cidadania”.

O tema central deste ano foi a acusação ao Vaticano de querer reabrir um debate sobre o aborto, permitido no país até a 24ª semana. Também foram feitas críticas a alguns políticos “servos da Igreja”.

Fonte: EFE