O maior grupo estudantil muçulmano malaio exigiu o cancelamento de um show na capital do país da cantora americana Gwen Stefani, alegando sua suposta forma indecente de se vestir e sua obscenidade, informou hoje a imprensa da Malásia.

A União Nacional de Estudantes Muçulmanos Malaios (UNEMM), que reúne cerca de 10 mil membros, afirmou que o evento previsto para 21 de agosto, parte da turnê “Sweet Escape”, vai se chocar com os valores asiáticos e islâmicos.

O presidente da UNEMM, Mohammed Hilmi Ramli, afirmou que o videoclipe promocional do show de Stefani é “obsceno demais”. Ele pediu aos organizadores que “cancelem o evento”. Caso contrário, pedirá a intervenção das autoridades.

Ramli também criticou a companhia de celulares Maxis por promover o show e “uma série de atividades estrangeiras unicamente para obter lucro e expor a geração mais jovem a degradações morais”.

A Malásia é considerada um país muçulmano moderado. São 26 milhões de habitantes, dos quais 60% professam o Islã. Mas a maioria coexiste de forma pacífica com minorias de budistas, cristãos e hindus.

Fonte: Terra