Em 22 de junho, Maria Yusuf, da cidade de Boreda, na Etiópia, foi morta depois que seu marido a espancou por sua recusa a se retratar de sua fé cristã.

Quando se casou, Maria era muçulmana. Ela se converteu ao cristianismo há dois anos – as pessoas que se convertem do islamismo são muitas vezes colocadas sob forte pressão para se retratar de sua fé.

[img align=left width=300]https://www.portasabertas.org.br/images/1120054/3209742[/img]Um cristão, conhecido de Maria, chegou ao local do crime pouco antes de sua morte, a tempo de ouvi-la dizer repetidamente: “Ele me matou.” O marido foi preso e a autópsia de Maria ainda não foi divulgada ao público.

De acordo com o contato da Portas Abertas no país, Maria sofreu espancamentos regulares do marido por se converter ao cristianismo, uma situação que ela já havia denunciado à polícia. Apesar de os cristãos formarem a maioria da população na área, a comunidade vem enfrentando pressão considerável de muçulmanos e autoridades locais.

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional[/b]