No Brasil, para as mulheres que possuem nível superior completo, o rendimento médio é de R$ 2.291,80 (dados de janeiro de 2008). Já os homens com a mesma formação escolar recebem salário de R$ 3.841,40. Portanto, elas recebem apenas 60% do salário deles.

Os números se referem ao conjunto das seis regiões metropolitanas investigadas pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): Recife (PE), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS).

Segundo o relatório do Instituto, isso representa que “mesmo com grau de escolaridade mais elevado, as discrepâncias salariais entre homens e mulheres não diminuem”.

Na média geral, com todos os níveis de escolaridade, o salário das mulheres em janeiro de 2008 foi de R$ 956,80. O dos homens foi de R$ 1.342,70. Ou seja, as mulheres recebem apenas 71,3% do rendimento dos homens.

Na análise de cada região metropolitana, esse percentual foi de 75,9% em Recife, 74,2% em Salvador, 65,2% em Belo Horizonte, 75,6% no Rio de Janeiro, 70,4% em São Paulo e 69,3% em Porto Alegre.

Entre 2003 e 2008, o crescimento do rendimento da mulher foi maior no Rio de Janeiro, 16,5% (de R$ 817,20 para R$ 952,90) e menor em São Paulo, onde houve redução de 2,2% (de R$ 1.100,86 para R$ 1076,40), apesar de a região metropolitana de São Paulo ter os maiores salários médios, tanto para os homens quanto para as mulheres.

A escolaridade delas, no entanto, é mais alta que a deles. Entre as mulheres trabalhadoras, 51,3% possuíam 11 anos ou mais de estudo em janeiro de 2003, contra 59,9% em janeiro de 2008. Entre os homens, esses mesmos níveis de escolaridade eram de 41,9% e 51,9%, respectivamente, nos meses de janeiro de 2003 e de 2008.

Fonte: Folha Online