Militantes islâmicos na província sulista de Nensebo, na Etiópia, mataram três cristãos e deixaram dezenas de feridos como parte de um plano para erradicar o cristianismo na região. O atentado ocorreu na última sexta-feira, 7 de março.

Oito dos feridos foram levados para hospitais na cidade de Awassa, enquanto outras vítimas seriamente feridas foram encaminhadas para o Hospital Black Lion, em Adis-Abeba.

Entre os feridos está um policial e um cristão “cuja mão foi cortada fora pelos radicais islâmicos”, contou uma testemunha que não quis se identificar. Nenhum detalhe adicional sobre como os cristãos morreram foi conhecido.

Wahhabi Islã faz campanha contra missionários

Na segunda-feira anterior, dia 3 de março, militantes muçulmanos use uniram ao movimento Wahhabi Islã, juraram destruir igrejas e ameaçaram acabar com “qualquer grupo cristão que realize um trabalho missionário na região”.

“Os cristãos e muçulmanos na Etiópia estavam vivendo em uma relativa calma até a chegada do Wahhabi Islã, da Arábia Saudita, ao país”, disse a testemunha.

O Wahabismo é um movimento de reforma sunita do século 18º fundado por Muhammad ibn Abd-al-Wahhab, na Arábia Saudita.

A expansão do wahhabismo, abastecido pelo apoio financeiro da Arábia Saudita e de outros países do Golfo, está influenciando e financiando os muçulmanos, – que em troca estão se tornando hostis aos cristãos.

Há uma expansão crescente de radicalização muçulmana ao longo do país. Ore pela proteção dos cristãos e dos evangelistas que vivem na região. Que Deus possa conduzi-los na obra com sabedoria e força em meio à perseguição. Ore também pela conversão destes radicais.

Fonte: Portas Abertas