Seis extremistas nacionalistas hindus atacaram uma igreja doméstica, seqüestraram dois cristãos, e os espancaram severamente no último dia 17 de janeiro, no distrito de Rewa, Estado de Madhya Pradesh.

Com espadas, facas, tridentes e varas, os supostos membros do grupo extremista hindu Bajrang Dal chegaram ao culto da igreja doméstica em três motocicletas no vilarejo de Pathigaon, área de Naigadi, e começaram a forçar Vijava Kumar Maurya e Keera Lal a irem com eles à estação policial por volta das 8 horas, disse o reverendo Augustine Jebakumar do GEMS (sigla em inglês), uma organização cristã indígena situada no Estado de Bihar.

Alguns cristãos disseram que gostariam de acompanhar Maurya e Lal até a estação policial, mas os extremistas bateram nos cristãos e os levaram para uma mata, onde eles foram novamente espancados.

“Quando dois dos seqüestradores saíram da metade do caminho, os outros quatro nos levaram até um templo na montanha, conhecida como Sahaki Pahar, e que fica uns seis quilômetros do vilarejo de Pathigaon”, disse Maurya ao Compass.

Livramento

“Eles disseram que estavam indo nos sacrificar ao deus do templo. Porém, receberam um telefonema e ficaram em alerta porque souberam que uma queixa policial fora apresentada. Foi por isto que não nos mataram”.

Os agressores devolveram os celulares que tinham sido roubados dos cristãos e os obrigaram a ligar para a polícia e dizer que não foram raptados. Eles também coagiram os cristãos a assinarem um papel com a mesma declaração.

Maurya teve ferimentos na cabeça e no estômago, enquanto Lal foi deixado agonizando com dores nas costas. Libertos por volta das 20 horas, Maurya e Lal caminharam de volta ao seu vilarejo, chegando em casa por volta das 3 horas da madrugada.

Maurya é um trabalhador da GEMS. Ele disse ao Compass que os seis homens, que acusaram sua igreja doméstica de realizar “conversões”, gritavam “Jai Bajrang Bali [salve o deus Hanuman]” e carregavam bandeiras amarelo-laranjas em suas motocicletas, geralmente utilizadas pelos extremistas do Bajrang Dal.

Zona de tensão

Os motociclistas foram supostamente guiados pelo secretário do Bajrang Dal na área. Os outros cinco foram identificados como Yedupati Prasad Mishra, Hari Shankar Mishra, Ravindra Kumar Mishra, Gangadhar Singh e Yogender Mishra.

Aludindo aos extremistas do Bajrang Dal, o superintendente da polícia Mohammed Shahid Absar disse que alguns “interesses encobertos” foram praticados com objetivo de arrumar problemas onde não existem, no intuito de obter vantagens políticas.

Hindutva

O Bajrang Dal é a ala jovem do Vishwa Hindu Parishad, um grupo extremista da Hindutva. Hindutva é uma ideologia política do nacionalismo hindu, e segundo ela a Índia pertence aos hindus que constituem mais de 80% da população total do país de mais de 1 bilhão de habitantes, enquanto minorias, como os cristãos, são considerados “intrusos” de segunda classe.

O superintendente disse ao Compass que os agressores tentaram arquivar uma queixa dizendo que os cristãos tinham seqüestrado dois dos seus. “No momento nós estamos investigando”, ele disse.

Pela imprensa, a polícia não registrou formalmente qualquer acusação tanto dos agressores quanto dos cristãos.

“Nós não queremos acusações pela imprensa, mas nós queremos a segurança de que uma coisa com esta não se repetirá no futuro”, disse Maurya. Os cristãos locais reclamaram que a situação continua tensa.

Ameaças e boicotes

“No domingo passado (20 de janeiro), um homem do Bajrang Dal circundou a casa de um crente local e o ameaçou. No dia seguinte eles atacaram uma moça cristã negando a ela o acesso à fonte de água de Pathigaon”, disse uma fonte local solicitando anonimato.

Os cristãos na Índia temem que os incidentes de perseguição cresçam já que neste ano ocorrerão eleições legislativas em 10 Estados, incluindo Madhya Pradesh, onde o partido nacionalista hindu vigente, Bharatiya Janata, está fazendo todos os esforços para retornar ao poder.

Madhya Pradesh, que possui apenas 170.381 cristãos do total de mais de 60 milhões, é um dos Estados com o maior índice de ataques anticristãos.

De acordo com a conferência dos bispos católicos de Madhya Pradesh, mais de 55 ataques a cristãos por vários grupos extremistas da Hindutva foram noticiados no Estado entre julho de 2006 e abril de 2007.

Fonte: Portas Abertas