No Líbano, prosseguem as agressões do fundamentalismo islâmico contra a informação católica on-line. Repetidos ataques informáticos a sites católicos e das Igrejas cristãs estão sendo perpetrados pelos hackers que alteraram o conteúdo dos mesmos, substituindo-o com propaganda integrista em língua árabe.

O último site atingido foi o da União Católica Internacional de Imprensa (UCIP), no Líbano. É o segundo site cristão a ser invadido, nas últimas duas semanas.

No dia 13 de janeiro, fora invadido o site do Conselho das Igrejas do Oriente Médio. A imprensa árabe atribuiu o ataque a “movimentos integristas não-cristãos”, enquanto o diretor do departamento da União Católica Internacional de Imprensa (UCIP) em Beirute, Pe. Toni Khadra, foi mais explícito, quando falou de um “ataque aos valores comuns de convivência entre o Cristianismo e o Islã”.

O site era uma vitrine da Igreja Católica local e reportava, além do magistério, aprofundamentos sobre a atualidade social e cultural do Líbano e sobre iniciativas de diálogo islâmico-cristãs. Pe. Khadra considera este último aspecto como o pivô do ataque contra o site da UCIP em língua árabe, de Beirute, e contra o site do Conselho das Igrejas do Oriente Médio há duas semanas.

O sacerdote lamentou os grandes prejuízos e a perda de material de arquivo praticamente insubstituível, recolhido com tantos sacrifícios, durante os anos da guerra no Líbano. Ele lançou um apelo à mídia e aos líderes espirituais e políticos, para que condenem publicamente o ocorrido, a fim de evitar que se repita e se propague esse tipo de ataque.

Na última quarta-feira, Hassan Nasrallah, chefe do partido xiita libanês, Hezbollah, disse que “o Líbano será a sepultura de qualquer invasor”. As palavras do líder Hezbollah foram ditas diante de seus seguidores, durante a festa religiosa da Ashura.

Fonte: Rádio Vaticano