A maioria das pessoas na Inglaterra acredita que a religião causa mais danos do que bem, de acordo com uma pesquisa feita pelo jornal Guardian, publicada hoje. Foram 82% dos questionados que disseram que a religião é a causa de tensão e divisão das pessoas.

NOTA: A partir de 7 de janeiro o FolhaGospel será liberado apenas para assinantes. Clique aqui e assine agora por apenas R$ 9,90 por três meses.

Apenas 16% acharam o contrário. Além disso, apenas 33% das pessoas entrevistadas se descreveram como “pessoa religiosa”, enquanto 63% disseram não ser religiosos. Segundo a pesquisa, idosos e mulheres são mais propensos a serem religiosos. Foram 37% das mulheres que se disseram religiosas contra 29% dos homens.

A pesquisa do Guardian foi feita ao fim de um ano em que o Reino Unido assistiu ao multiculturalismo e às diferentes crenças da sociedade se tornarem o centro dos debates políticos – dividindo consideravelmente a sociedade. A pesquisa também apontou que apenas 13% dos entrevistados participam de serviços religiosos semanalmente, enquanto 43% disseram nunca terem ido a serviços deste tipo.

Entre os não cristãos, 29% disseram que freqüentam serviços religiosos de alguma natureza ao menos uma vez por semana. Porém, na véspera do Natal, 54% dos cristãos entrevistados disseram que pretendem participar de uma missa durante o feriado. Entre a elite econômica, 64% disseram que irão à Igreja no Natal contra 43% daqueles que pertencem à classe baixa.

Além disso, apenas 17% dos britânicos descreveram o Reino Unido como um país cristão. Já a grande maioria – 62% – concordou que o país é melhor descrito como um local de “diferentes crenças”. A pesquisa entrevistou 1.006 pessoas, maiores de 18 anos, por telefone, entre 12 e 13 de dezembro.

Fonte: Agencia Estado

NOTA: A partir de 7 de janeiro o FolhaGospel será liberado apenas para assinantes. Clique aqui e assine agora por apenas R$ 9,90 por três meses.