Organização ilegal de grupos religiosos, incitamento ao ódio étnico ou religioso, e distribuição de material com idéias religiosas extremistas: com essas acusações, o tribunal uzbeque de Andijan condenou a quatro anos de reclusão, o pastor protestante Rev. Dmitry Shestakov, por causa de sua atividade religiosa.

A notícia foi dada pela agência missionária de notícias, AsiaNews. Segundo fontes locais, as provas contra o religioso consistiriam na análise de alguns de seus sermões, gravados em junho de 2006 e submetidos a exame por um universitário uzbeque.

Segundo a agência “Fórum 18”, a condenação teria como motivação real, as conversões ao Cristianismo, de famílias inteiras do país, operadas pelo pastor. Durante o processo, o Rev. Shestakov não pôde ser assistido por seu advogado, que estava doente, tendo-lhe sido nomeado pelo tribunal, um advogado ad hoc.

Os meios de comunicação difundiram informações falsas de que o condenado usava álcool e droga. O Rev. Shestakov está preso desde 21 de janeiro, e se ignora a localidade onde deverá ficar confinado.

Em fevereiro passado, os fiéis que participaram do culto dominical na Igreja Pentecostal de Karshi foram filmados e interrogados sobre sua fé e sobre o financiamento da Igreja. Além do mais, a polícia fez uma vistoria nas dependências da igreja, seqüestrando livros e gravações.

A Igreja Pentecostal pediu, há 7 anos, para ser registrada oficialmente, mas até agora não conseguiu aprovação; por isso, sua atividade é considerada ilegal.

Fonte: Rádio Vaticano