O episódio ocorre quando a Arquidiocese de Los Angeles dava por encerrado o capítulo de processos judiciais por abuso sexual com um acordo de US$ 13 milhões.

No mesmo dia em que representantes legais de 17 litigantes e da arquidiocese anunciavam um acordo para resolver os últimos processos de abusos sexuais cometidos por sacerdotes e membros da Igreja Católica no passado, um pai anunciou nesta quarta-feira (19) a apresentação de outra demanda por abuso contra sua filha.

O episódio ocorre quando a Arquidiocese de Los Angeles dava por encerrado o capítulo de processos judiciais por abuso sexual com um acordo de US$ 13 milhões. Herminio Ortiz e seu advogado, Luis Carrillo, anunciaram a apresentação de uma queixa legal por abuso contra a menor por parte de um treinador voluntário que ajudava em uma equipe da Escola Elementar San Diego (“St. Didacus”).

Ortiz afirmou que o responsável pelo abuso é Epifanio Nevárez, que já foi condenado por atos lascivos com um menor em setembro de 2013. “Especificamente, ele esteve em contato com esta menina e a levou da escola para sua casa para fazê-la participar de brincadeiras sexuais”, alega o processo.

A arquidiocese esclareceu através de um comunicado que suas políticas “não permitem que ninguém com uma denúncia crível de abuso de menores trabalhe ou atue como voluntário em nenhum Ministério”.

“A segurança e proteção das crianças é nossa mais absoluta prioridade”, assegurou a entidade católica e também pediu que qualquer pessoa que saiba ou suspeite de algum abuso busque as autoridades ou a própria arquidiocese.

Além disso, afirmou que “Epifanio Nevárez era um representante, designado pelos pais, para seus netos, que eram estudantes da Escola San Diego”.

Em julho de 2007, a arquidiocese assinou um acordo diante do juiz Haley Fromholtz da Suprema Corte de Los Angeles, pelo valor total de US$ 660 milhões, pondo fim a mais de cinco anos de negociações por casos de processos por abusos sexuais.

A regra incluiu mais de 500 supostas vítimas de abusos sexuais por parte de membros do clero e da arquidiocese e consistiu na quantia mais alta paga por qualquer diocese nos Estados Unidos. Como parte do acordo, a arquidiocese se comprometeu a não bloquear os pedidos de divulgar os registros sobre denúncias de abuso sexual em seus arquivos.

[b]Fonte: EFE[/b]