O presidente da Bolívia, Evo Morales, voltou a criticar a Igreja Católica nesta quinta-feira, após uma declaração do arcebispo de Cochabamba, Dom Tito Solari.

O arcebispo dirigiu-se aos camponeses e à população urbana de Cochabamba, pedindo que evitassem enfrentamentos, ao participar dos atos do aniversário regional, previstos para a sexta-feira, 14.

“Quem é a Igreja para pedir paz aos camponeses? _ questionou Morales, argumentando que “somos acusados de buscar o confronto e a violência”.

A secretária do arcebispado, Mariluz Bustamante, afirmou que Dom Solari não contestará as críticas do presidente Morales, porque “não é um homem de confronto”, mas busca “alcançar a paz e a reconciliação.”

Mariluz Bustamante declarou ainda, que “a Igreja nunca desistirá de buscar a paz e a reconciliação” na região de Cochabamba e no país.

O presidente Evo Morales já enfrentou várias vezes a Igreja Católica no país. Em maio deste ano, pediu que a Igreja optasse entre “rezar ou fazer política”.

Fonte: Rádio Vaticano