“A goleada no ativismo gay esta em 7a 0.”, Atacou o pastor Silas Malafaia ao enumerar as vitórias pessoais dele sobre a militância homossexual.

O eterno embate entre Silas Malafaia e os ativistas gays ganhou um novo capítulo essa semana, e o pastor usou seu Twitter para comentar uma nova tentativa de cassação de seu registro de psicólogo no Conselho Regional de Psicologia (CRP-RJ).

Malafaia vem alertando sobre a polêmica cassação do registro de psicóloga de Marisa Lobo, e afirmou que o assunto será abordado por ele na próxima edição do programa Vitória em Cristo.

A perseguição da militância homossexual, de acordo com Malafaia, vem usando de “malandragem” contra ele, e pela quarta vez tentaram cassar seu registro de psicólogo, porém sem sucesso.

“Mais uma malandragem do ativismo gay que vou denunciar no programa deste sábado. Não perca! 9h, na Rede TV e meio-dia, na Band. Mais uma derrota da safadeza do ativismo gay. Pela 4ª vez consecutiva, o conselho regional de psi[cologia] arquiva denuncias contra mim… Não cansam? Tenho que kkkkkahahah não adianta, a mentira não prevalece. O ativismo gay, que é intolerante, não suporta a critica. Não vou calar. Podem xingar os evangélicos, não nos importamos, sabemos o que somos. O ativismo gay não suporta a critica porque não tem convicção”, publicou o pastor.

Na sequência, Malafaia enumerou o número de vitórias pessoais dele sobre a militância homossexual: “A goleada no ativismo gay esta em 7a 0. Vejamos… Tentaram tirar meu programa do ar, perderam. Na Justiça Federal, perderam. Na PGR [Procuradoria Geral d República], perderam… Quatro vezes no CRP-RJ. Só uma dica pro ativismo gay: maior PE o que está comigo, o Deus Todo Poderoso, não prevalecerão contra mim. Não tenho medo”, afirmou.

[b]Decreto 8243
[/b]
Posteriormente, Malafaia alertou seus seguidores sobre o decreto 8243/2014 que tiraria atribuições do Poder Legislativo, o que seria a institucionalização de uma ditadura.

“Alerta! Dilma assina na surdina o decreto 8243, [que] tira poder do Congresso e dá aos movimentos sociais, que o PT controla. É o mesmo caminho que Cuba e Venezuela percorreram, é muito grave! Multiplique esta informação”, escreveu o pastor.

Sobre o mesmo tema, um editorial do jornal O Estado de S. Paulo classificou o decreto como “um conjunto de barbaridades jurídicas”. Já o colunista da revista Veja, Reinaldo Azevedo, conhecido por sua oposição ao PT, descreveu o decreto como “a instalação da ditadura petista por decreto”.

[b]Fonte: Gospel +[/b]