O número de pessoas que passam fome em todo o mundo aumentou em 40 milhões este ano, segundo informações divulgadas hoje (9) pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Com isso, o número de famintos pode chegar a 943 milhões, contra os 923 milhões estimados em 2007.

No ano passado, a maior parte da população subnutrida, 907 milhões, vivia nos países em desenvolvimento, de acordo com o informe da FAO intitulado O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo – SOFI 2008. Desses, 65% estavam em sete países: Índia, China, República Democrática do Congo, Bangladesh, Indonésia, Paquistão e Etiópia.

Apesar de, segundo dados da FAO, quase dois terços da população que passa fome estar na Ásia, 583 milhões em 2007, a região com o maior percentual de famintos é a África Subsaariana, onde um em cada três habitantes sofre desnutrição crônica, num total de 236 milhões em 2007.

Ainda assim, a região fez progressos em termos proporcionais. O percentual de pessoas da África Subsaariana com fome crônica, segundo o informe, baixou de 34% no período 1995-97 para 30% entre 2003 e 2005. Gana foi o único país da região que conseguiu alcançar os níveis de redução da fome da Cúpula Mundial da Alimentação e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, de erradicar a pobreza extrema e a fome.

Na América Latina, o número de famintos chegou a 51 milhões no ano passado, apesar do sucesso no combate à fome antes da crise de aumento nos preços dos alimentos.

Fonte: Folha Online