A quantidade de igrejas (católicas e evangélicas) em Uberlândia aumentou em 26% nos últimos cinco anos.

Até setembro de 2013, o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) registrou 649 instituições religiosas na cidade, enquanto em 2009 esse número era 514. São cerca de 130 igrejas católicas na cidade, segundo o bispo da Diocese de Uberlândia, dom Paulo Francisco Machado, o que representa 20% do total apontado pelo IBPT. Os templos evangélicos são responsáveis pelos outros 80%.

As igrejas evangélicas foram as que mais cresceram entre 2009 e 2013, com cerca de 130 novos templos instalados na cidade. Já a católica teve cinco igrejas construídas nesse período, de acordo com Dom Paulo. “A nossa maior dificuldade em aumentar o número de igrejas é o valor elevado dos terrenos. Nossas paróquias não têm verba suficiente para adquirir áreas para a construção”, afirmou dom Paulo.

Para o membro do Conselho de Pastores de Uberlândia Adalberto Alves da Silva, o número de igrejas está aumentando porque as pessoas estão carentes emocional e espiritualmente e procuram amparo nas instituições religiosas. “Os templos evangélicos crescem mais que as igrejas católicas por terem uma eficácia maior no modelo como propagadora do evangelho prático. A apresentação do evangelho é feita de forma a amenizar o sofrimento dos fiéis”, disse Silva.

De acordo com o teólogo Manoel Messias de Oliveira, Uberlândia registrou um crescimento significativo da quantidade de igrejas nos últimos cinco anos e existem quatro principais razões para esse aumento. “As pessoas têm sede de espiritualidade e estão em busca de um sentido para a sua existência. As reformas das igrejas luteranas e os desentendimentos dentro de um determinado grupo devido à interpretação da Bíblia faz com que se criem novos grupos. A facilidade em abrir igrejas também é uma causa. É preciso apenas registrar a instituição e ter alvará de funcionamento.”

Oliveira afirmou que o quarto motivo é a criação da fé “personalizada”. “Muitas pessoas frequentam duas ou três igrejas de credos diferentes. Na sexta toma passe no centro espírita, no sábado vai ao louvor evangélico e no domingo vai à missa da Igreja Católica. A pessoa acredita em uma parte do que as três religiões pregam e cria a sua própria fé”, afirmou.

[b]Área ocupada do glória tem 2 igrejas
[/b]
As igrejas chegaram à área ocupada na fazenda do Glória – onde vivem mais de 2 mil famílias, às margens da BR-050, na saída para Uberaba – antes mesmo da infraestrutura. O lugar tem uma igreja [img align=left width=300]http://www.correiodeuberlandia.com.br/wp-uploads/2013/10/igreja3.jpg[/img]católica e uma evangélica. Esta última divide espaço com a chamada Plenária, local onde os ocupantes da área se reúnem para tomadas de decisões. Não existem portas ou janelas. Apenas um mural de avisos.

Na mesma rua de terra, a igreja católica ocupa um espaço maior. A base da construção é de alvenaria. No lugar das janelas, telas de arame. Alguns bancos de madeira e um altar simples, sem imagens ou outros objetos típicos da Igreja Católica.

“Eles também são filhos de Deus e precisam que levemos a palavra do Senhor a eles. A igreja tem que alcançar os bairros mais distantes, para levar alento e esperança às pessoas mais sofridas”, afirmou o bispo dom Paulo Francisco Machado.

[b]Professor da UFU faz levantamento e afirma que cidade tem mil templos
[/b]
Embora números oficiais apontem a existência de cerca de 650 igrejas na cidade, o professor do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) João Fernandes Silva afirma que só os templos evangélicos somam pelo menos mil. Ele estuda há dois anos o crescimento das igrejas evangélicas na cidade. “Essa divergência acontece porque muitas instituições não são registradas”, afirmou Silva.

O professor percorre a cidade para mapear os templos e percebeu que a maior aglomeração e expansão dos templos evangélicos estão na periferia de Uberlândia “Isso é atípico. Nas grandes cidades, as igrejas estão estrategicamente instaladas nas principais avenidas, por ter maior movimentação”, disse.

A pesquisa já constatou que na avenida mais longa de Uberlândia, a João Naves de Ávila, existem cinco templos em pouco mais de 8 quilômetros de extensão. Outra das principais vias da cidade, a Rondon Pacheco, há três igrejas evangélicas em cerca de 7 quilômetros.

Já na periferia o cenário muda. O levantamento aponta, por exemplo, que existem 11 templos evangélicos distribuídos ao longo de mil metros da avenida Angelino Favato, no bairro Granada, zona sul. Outro exemplo é a avenida Solidariedade, que corta os bairros Joana D’Arc e São Francisco, na zona leste, e tem 15 igrejas evangélicas em 1,6 mil metros da via.

[b]Pastor abre igreja em garagem na zona sul e hoje tem espaço de 170 m²
[/b]
Há pouco mais de um ano e meio o pastor Ederson Tavares Borges criou sua própria igreja com a denominação Orvalho Santo. Durante seis meses, o templo funcionou em uma garagem reunindo 16 pessoas. Por algumas semanas, ficou sem lugar definido. Há um ano a igreja faz as pregações em um galpão de 170 m² no bairro Aurora, zona sul de Uberlândia, e reúne 40 fiéis.

“A missão da nossa igreja é ajudar pessoas necessitadas e educar. Ensinar as pessoas que no evangelho ela pode encontrar a cura para suas angústias”, disse Borges.

[b]Fonte: Correio de Uberlândia[/b]