Considerado num dos mais expressivos opositores ao governo do presidente Néstor Kirchner e referente espiritual de vários políticos, o arcebispo de Buenos Aires, cardeal Jorge Bergoglio, exortou ontem milhares de católicos e evangélicos, reunidos no Luna Park, a não “privatizar o Evangelho”.

A quarta edição deste encontro, que iniciou em 2004, reuniu a Comunhão Renovada de Evangélicos e Católicos no Espírito Santo (Creces) e contou com a participação da candidata à presidência da República pela Coligação Cívica, Elisa Carrio, e de outros dirigentes políticos.

“Não privatizemos o Evangelho, não privatizemos o nome de Jesus. Se não o compartilhamos com os outros, é porque não o entendemos”, assegurou Bergoglio. O cardeal disse que não se pode privatizar o nome de Jesus “para nós mesmos”, acrescentando: “Gratuitamente o recebemos, gratuitamente o temos que dar”.

A Comissão Permanente do Episcopado Católico vai avaliar, em reunião na quinta-feira, a situação eleitoral no país e a imagem do arcebispo, que foi utilizada na campanha política na província de La Rioja. Outro assunto na pauta será a definição de ações que levem ao cumprimento das metas estabelecidas no Documento da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, reunida em Aparecida, Brasil, de 13 a 31 de maio.

Fonte: ALC