A cidade-estado do Vaticano é o mais novo membro da Interpol, a polícia internacional de combate ao crime organizado, que já conta com 187 integrantes, entre eles o Brasil. O anúncio foi feito nesta terça, durante a assembléia-geral anual da Interpol, em São Petersburgo, na Rússia.

A adesão do Vaticano deve reforçar a segurança do papa, durante as suas viagens, e dos cerca de 40.000 turistas que visitam diariamente a região. “Esta presença é simbólica, mas muito útil. Os assuntos de segurança são muito importantes para a Cidade do Vaticano”, declarou Renato Boccardo, secretário-geral da cidade-estado do Vaticano.

Em sua constituição, a Interpol declara agir “sem qualquer intervenção ou atividade de caráter político, militar, religioso ou racial”. Segundo o site da instituição, as suas operações, têm objetivo de promover a cooperação entre as polícias dos 187 países-membros e a apoiar organizações, autoridades e serviços que previnam ou combatam o crime internacional.

O Brasil compõe atualmente o Comitê Executivo da Interpol. Zulmar Pimentel dos Santos, o representante do país no órgão deliberativo da instituição, é delegado pelas Américas desde 2005. Criada em 1923, a maior organização policial do mundo reúne em seu encontro anual 153 de seus 187 membros. Na pauta, temas como o terrorismo, o tráfico de drogas e os cyber-crimes.

Fonte: Veja On-line