O obreiro Domingos Nazareno, da congregação evangélica Jarbas Passarinho, localizada no bairro do Atalaia, no Pará, é acusado de violentar um adolescente de 15 anos. O crime ocorreu às 20 horas do último domingo, em uma rua do bairro.

Ontem pela manhã, o investigador Leite, o cabo Bezerra e o soldado Magno estiveram na residência do acusado, no conjunto Oásis, na rodovia do 40 Horas, mas não o encontraram.

Os policiais acreditam que ele está escondido, para tentar fugir do flagrante. Para escapar, Domingos utilizou um Fiat Uno, placas JTJ-3847, que pertence à sogra dele. Esse é o mesmo veículo foi usado para a prática do crime.

A vítima contou que chegou na igreja sem os seus pais na noite de domingo e só encontrou o acusado. Domingos perguntou ao garoto pelos seus pais e disse que era para ele não se incomodar que ele o levaria em sua casa, após o culto. O menino aceitou a oferta. No caminho, Domingos, munido de uma faca, abusou sexualmente do garoto, forçando-o a praticar sexo oral e anal com ele.

O crime foi registrado no Pró-Paz, na Santa Casa de Misericórdia do Pará. Os exames de atos libidinosos diversos da conjunção carnal feitos no jovem no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves constataram o abuso sexual. O adolescente foi atendido por médicos e psicólogos do Pró-Paz. Os dirigentes da igreja já tinham desconfiado de que o obreiro não era ‘gente do bem’. Ele já havia tentado assediar uma moça da congregação evangélica.

Segundo um pastor, que preferiu não ser identificado, as meninas já tinham feito comentários de que ele era ‘abusado’. O pastor comentou que Domingos chegou na igreja há cinco meses junto com a família, sogra e esposa, e a partir de então foi aos poucos ganhando a confiança dos ‘irmãos’.

Fonte: Amazônia Jornal