Com elenco estelar encabeçado por Malu Mader e Thiago Lacerda, nova novela das seis da Globo estréia nesta segunda-feira. O escritor Paulo Coelho deu consultoria e faz o papel do mago Simon na novela que terá bruxas. Você pretende assistir? [url=http://www.folhagospel.com/site/html/modules/xoopspoll/]Clique aqui[/url] e dê sua opinião.

Bruxas, valentinas, feitiços e energias que alteram vidas e provocam tragédias em Serranias, cidade mineira fictícia colonizada por irlandeses, serão pano de fundo para a história da dramaturga Elizabeth Jhin, “Eterna Magia”, que estréia no dia 14 na Globo e retoma o ocultismo como tema principal de uma novela das seis.

Não é a primeira vez que a emissora recorre ao desconhecido em suas novelas. A recente “O Profeta”, que termina nesta semana, e uma de suas antecessoras, “Alma Gêmea”, de Walcyr Carrasco, falava de vidência e reencarnação.

A autora, romântica declarada, prefere chamar a novela de “uma história de amor”, já que ela parte de uma epígrafe atribuída ao dramaturgo Oscar Wilde -“O mistério do amor é maior que o mistério da morte”. “A paixão, a vontade de largar tudo e o sonho de ir para outro lugar começar uma vida nova é o que move a novela”, diz.

A novela terá realismo fantástico e efeitos para mostrar a magia. Na história, algumas mulheres sabem que são descendentes de bruxas e outras, não. “As pessoas podem confundir a magia com a wicka, mas ela começou a ser reconhecida como religião a partir de 1952 [a novela se passa entre os anos 30 e os anos 40]. As nossas bruxas são mais ligadas ao povo celta, pois são descendentes de irlandeses. Não quis colocar o nome “bruxa” pois gera preconceito. As valentinas, como eram chamadas, usam a magia para o bem”, diz Jhin.

A curiosidade sobre religiões e rituais move as montanhas entre produção, direção e elenco, que pouco conhecem da história celta irlandesa. “Nunca tive contato com este universo, mas sempre achei bonito. Quando pesquisei a Irlanda, me apaixonei pela cultura e fiquei encantada. Acredito na magia do dia-a-dia, no poder que todos temos”, justifica a autora.

Paulo Coelho

Foi de Jhin a sugestão para que a emissora procurasse o escritor Paulo Coelho para participar da produção. Ele narra a história, vive o mago Simon e, eventualmente, presta uma consultoria sobre o tema. “Ele nos recebeu com imenso prazer e disse que gostaria de participar mais vezes. Devemos procurá-lo novamente durante a novela ou para o final, pois sua participação se resume aos primeiros capítulos”, conta o diretor de núcleo Carlos Manga.

Diretor-geral da atração, Ulysses Cruz também tomou contato recentemente com o universo da magia. Declaradamente cético, ele buscou respostas em Paulo Coelho: “Perguntei a ele se era escritor ou mago, mas ele não respondeu”, diz Cruz, ressaltando que o mundo nunca esteve tão à procura da religiosidade.

“As principais guerras ocorreram por causa de religião. Sou cético, mas curioso. Leio muito e me encantei pelo mundo celta. É como Shakespeare ou Nelson Rodrigues, que têm sempre de serem montados, mesmo que sejam recorrentes demais”, afirma o diretor.

Para a atriz Eliane Giardini, há uma energia inexplicável entre os humanos. Estudante da cabala, ela diz estar se familiarizando aos rituais celtas. Já Cássia Kiss, a vilã da novela, se diz darwinista, mas admite acreditar no “poder” que tem. Malu Mader não pratica rituais nem freqüenta cultos religiosos, mas acha “positivo ter fé”.

Fonte: Folha de São Paulo