Continua a aumentar o número de pedidos de Bíblias na China. Por isso, uma organização sem fins lucrativos está tentando atender essa demanda, se preparando para distribuir mais escrituras no país, em 2017. O ministério “Bíblias para a China” está animado com as novas oportunidades para mais um ano de trabalho. Eles aproveitaram o “Ano Novo Chinês” para compartilhar o Evangelho.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/01/31/2468506367-biblias-para-china.jpg[/img]Durante o evento que aconteceu no dia 28 de janeiro, muitos chineses voltam para casa com o objetivo de se reunirem com suas famílias. O “Bíblias para a China”, que opera legalmente no país, distribui as escrituras gratuitamente para os cristãos que vivem em áreas rurais. A organização está orando para que o trabalho de distribuir Bíblias, no ano passado, tenha tido um impacto positivo sobre as famílias que estiveram juntas durante o feriado.

De acordo com o site da organização, esses cristãos têm acesso limitado às Bíblias por causa de sua localização e da falta de recursos monetários. Seu envolvimento com a Bíblia é muitas vezes restrito a páginas que eles copiaram, passagens que memorizaram ou edições velhas que são compartilhadas entre os aldeões.

“O ‘Bíblias para a China’ está muito feliz este ano porque acreditamos que existem muitas casas onde as famílias estiveram juntas e que pela primeira vez essas casas tiveram uma Bíblia. Muitas famílias estão sendo abençoadas”, disse Wendell Rovenstine, representante da organização.

“Sempre tem familiares que voltam para casa para comemorar o ‘Ano Novo Chinês’ com sua família”, ele continuou. “E como todos se reúnem para fazer bolinhos e servir no final do feriado, cremos que a palavra de Deus estará presente nessas residências”, afirmou.

[b]Otimismo[/b]

Apesar das restrições que a China colocou ao ministério cristão, Rovenstine permanece otimista de que em 2017 Deus continuará usando o “Bíblias para a China” para realizar Sua obra e difundir o Evangelho. Para isso, o ministério tem várias novas estratégias.

“Uma das coisas que vamos fazer em 2017 é atender o que ouvimos dos líderes chineses que trabalham com evangelismo. Eles disseram que têm grande necessidade de materiais de treinamento de liderança”, disse Rovenstine. “Devido a isso, o ministério planeja se associar com ministérios como o EQUIP para preparar melhor os líderes cristãos na China”, finalizou.

[b]Fonte: Guia-me[/b]