Um ônibus com 45 passageiros tombou na manhã desta segunda-feira (12) na BR-116 (Rio-Teresópolis) deixando seis pessoas gravemente feridas e pelo menos outros 15 passageiros com ferimentos leves.

Mais cedo, a CRT (concessionária da rodovia) chegou a informar que todos os 45 passageiros e o motorista tinham se ferido no acidente, mas a informação foi corrigida.

O ônibus transportava fiéis da igreja Assembleia de Deus, que retornavam de uma festividade em Espera Feliz (MG) para São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Por volta das 4h40, o ônibus descia a serra quando ficou sem freio num trecho chamado garrafão, no km 90, segundo o guia do grupo, Israel Fernandes da Silva, 59, que estava ao lado do motorista.

“O motorista olhou para mim e disse: estamos sem freio. Eu olhei para ele e respondi: e o que eu posso fazer meu filho? Está agora nas mãos de Deus”, disse Silva. “Tinha 45 pessoas no ônibus, malas, muito peso. Só Deus para parar o ônibus.”

Segundo ele, o motorista forçou o ônibus a tombar para evitar um acidente pior, já que a descida da serra tem penhascos. O veículo tombou e ficou preso ao guard-rail da rodovia.

“Quando tombou, o motorista voou em cima de mim. Isso salvou ele”, disse o guia do grupo,acrescentando que havia duas crianças no grupo, mas nenhuma se feriu. O guia disse que havia ao todo 46 pessoas no ônibus, sendo 45 passageiros no ônibus e o motorista.

Um fiel ficou em Espera Feliz e escapou do acidente. “Mas o pai e a mãe dele estavam no ônibus. Então, não dá nem para falar em sorte”, disse Silva. O ônibus era fretado da companhia Transleal Turismo.

O socorro foi feito por sete ambulâncias, entre veículos do Corpo de Bombeiros, da concessionária e de municípios próximos, como Guapimirim e Magé.

As vítimas foram levadas para o Hospital das Clínicas de Teresópolis, que fez 46 atendimentos (incluindo o motorista). Seis pessoas tiveram ferimentos mais graves.

Um dos passageiros teve o tórax perfurado, dois tiveram ferimentos por estilhaços de vidro e outros dois sofreram traumatismo craniano considerado leve. Um sexto passageiro teve fratura exposta extensa. Segundo o hospital, nenhum deles corre risco de vida.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]