Declaração foi dada por Secretário-Geral em evento para marcar um ano da Resolução 1820, do Conselho de Segurança, que classifica o estupro como “arma de guerra”.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que uma das prioridades da organização é incluir, cada vez mais, mulheres nas negociações de paz.

Segundo ele, não haverá paz no mundo enquanto as mulheres não se sentirem seguras. A declaração foi dada nesta terça-feira num colóquio para marcar o primeiro aniversário da Resolução 1820 do Conselho de Segurança que classifica o estupro como “arma de guerra”.

Reconciliação

O evento é organizado pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para as Mulheres, Unifem.

Ban lembrou que a ONU acredita que as mulheres devem participar de negociações de paz como integrantes de pleno direito.

Para ele, a presença feminina é fundamental para o processo de reconciliação no período pós-conflito.

O Secretário-Geral falou sobre o encontro que manteve com várias vítimas de estupro e outros crimes sexuais durante uma visita à República Democrática do Congo.

De acordo com a ONU, a Libéria e a República Democrática do Congo registraram mais casos de estupros por não terem tratado do tema durante as conversações de paz dos dois países africanos.

Fonte: Rádio ONU