Uma pregação durante um evento intitulado “Um chamado para orar”, organizado pela Igreja St. Aldates, em Oxford, gerou um clima de descontentamento entre as comunidades cristã e muçulmana da região.

No dia 31 de agosto último, Eddie Lyle, diretor da Portas Abertas no Reino Unido, convidou os cristãos da região a orarem pelos muçulmanos durante o mês do Ramadã, que começaria no dia seguinte.

Centenas de pessoas ficaram tocadas com a mensagem e, no fim do culto, foram à frente, renunciando aos seus temores e pedindo a Deus que lhes desse mais amor e compaixão para alcançar seus vizinhos e colegas de trabalho muçulmanos. Muitos ficaram na igreja até a meia-noite em uma vigília de oração pelos muçulmanos do país e de todas as partes do mundo.

Na manhã daquele mesmo dia, Eddie havia sido entrevistado pela rádio BBC, e mencionado a reunião da noite. O que ele não sabia é que pouco antes da sua entrevista ir ao ar, a emissora havia entrevistado o diretor do Conselho de Educação Muçulmana de Oxford, que acabou ficando no estúdio e ouvindo a entrevista de Eddie.

No dia seguinte, Eddie recebeu um telefonema do jornal Oxford Mail, que publicou uma matéria de página inteira informando que o chamado para que os cristãos orassem pelos muçulmanos durante o ramadã havia provocado uma disputa religiosa. O Conselho de Educação Muçulmana havia denunciado o evento como sendo um proselitismo disfarçado e uma ofensa contra sua fé.

Um seguidor de Jesus

Eddie Lyle afirma que em momento algum houve mensagens desrespeitosas sobre os muçulmanos ou o islã em geral. No entanto, ele acredita que a igreja não pode ser impedida de orar pelo que acredita e que deve fazê-lo sem medo. Eddie afirmou: “Se os muçulmanos se converterem durante o ramadã, que Deus seja louvado! Mas nosso objetivo principal foi reduzir o medo com relação aos muçulmanos e aumentar o amor por eles nas nossas comunidades, exortando os cristãos a serem bons vizinhos. Acredito que, como cristãos, um dos mais eloqüentes atos de amor é orar por aqueles a quem amamos e por quem temos compaixão.”

Como conseqüência da polêmica, Eddie foi convidado pelos líderes do Conselho para participar da quebra do jejum junto com os líderes muçulmanos no dia 13 de setembro, em Oxford.

Ele pede que os cristãos orem por esse encontro, já que ele não é um especialista em religiões nem em islamismo, mas deseja se apresentar como um seguidor de Jesus Cristo.

Pedidos de oração:

• Peça a Deus que dê sabedoria a Eddie, para que ele se posicione com humildade e ao mesmo tempo firmeza.
• Ore para que suas palavras não sejam distorcidas e que essa oportunidade signifique o início de um mover espiritual na comunidade de Oxford e em toda a nação.

Fonte: Portas Abertas