O mesmo fenômeno que há cinco meses estaria ocorrendo com a imagem católica, pertencente a família de José Rezek, residente no Jardim Alegre em Campo Grande, da qual escorre uma substância semelhante com mel, pode estar sendo registrado com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida em Eldorado, cidade no extremo sul de MS, numa casa nas imediações da BR-163.

O fato teria sido constatado pela aposentada Maria Aldina Rozeni no dia 10 de setembro deste ano. Segundo o filho da aposentada, o sargento PM Neuri Roseni, a imagem em gesso e com aproximadamente 50 centímetros, começou a liberar um líquido pelos olhos.

Em um primeiro momento, ela não teria dado importância ao fato. No segundo dia, ela tocou e provou o líquido, afirmando que tinha gosto de mel. No dia 12 de setembro, dona Maria Aldina contou o fato à família, e a história começou a se espalhar. Desde então, centenas de pessoas têm passado diariamente pelo local, para constatar o fenômeno.

A igreja católica de Eldorado foi comunicada do fato, mas até agora não enviou nenhum observador especial ou se pronunciou sobre o tema.

O suposto milagre de Eldorado se assemelha ao que se registra na residência de José Rezek, na Capital, onde, há cerca de cinco meses, tornou-se público o fato de que a imagem de Nossa Senhora de Fátima verte uma substância semelhante a mel. A casa se transformou em ponto de peregrinação de fiéis de várias partes do Brasil e do continente.

O fato também gerou polêmicas, envolvendo supostas ameaças aos proprietários da imagem e contestações com a Igreja Católica, que pretendia realizar exames na estátua – o que foi negado pela família.

Fonte: A Crítica – MS