Em meados de agosto desse ano, o Bispo George W. Coleman havia suspendido temporariamente o padre brasileiro José Afonso Lima, 46 anos, da Diocese de Fall River, Massachusetts, na época acusado de ter abusado sexualmente de um menor, conforme um comunicado divulgado pelo depto. de relações públicas da entidade religiosa.

O sacerdote atuava em Cape Cod desde 1998, ministrando para imigrantes católicos brasileiros que vivem e trabalham na região.

Embora o Padre Lima tenha negado as acusações, em casos assim tanto a política diocesana quanto a “US Bishop’s Charter for the Protection of Children and Young People” requerem que o sacerdote acusado seja removido do ministério até que o assunto seja resolvido.

Surpreso com as alegações, o Bispo Coleman distribuiu um comunicado sobre o afastamento do Padre Lima durante as missas de final de semana aos fiéis brasileiros nas igrejas católicas de Cape Cod e Fall River, assim como em missas celebradas na Paróquia St. Pius o Décimo.

O sacerdote brasileiro foi notificado das acusações pelo “Connecticut Department of Children and Families”, que considerou as alegações “substanciais”. O suposto incidente ocorreu em Connecticut e envolve um menor de idade residente naquele estado.

Antes de ter recebido a notificação pelos correios, o sacerdote desconhecia qualquer qualquer acusação feita contra ele, segundo o comunicado.

O padre é membro da ‘Missio’, uma comunidade formada por sacerdotes organizada e patrocinada por bispos no Brasil e oferece atendimento pastoral a fiéis católicos brasileiros que migraram aos Estados Unidos. O réu permaneceu como padre em sua diocese no Brasil, entretanto, atuava sob a direção da Diocese de Fall River quando vivia nos EUA.

Uma vez deixando o ministério em Massachusetts, o padre, residente na St. Pius the Tenth Parish, em South Yarmouth, deveria retornar à Danbury, Connecticut, onde a diretoria da “Missio” nos Estados Unidos está baseada. Ele teria que permanecer lá sob a supervisão da Missio até que as acusações em Connecticut fossem esclarecidas.

Entretanto, a Diocese de Fall River tomou conhecimento que, ainda no mês de agosto, o Padre José Afonso Lima, cidadão norte-americano naturalizado, havia retornado ao Brasil. Após isso, a Diocese passou a informação ao Departamento de Polícia de Bridgeport (Conn.), conforme o comunicado.

A Diocese alegou que soube, posteriormente, que o Monsenhor Pedro D. Diniz, diretor da Missio nos EUA, contatou o Padre Lima no Brasil e tentou convencê-lo a retornar ao país, acrescentou o comunicado.

Embora tenha residido em South Yarmouth, o ministério do sacerdote brasileiro era baseado na Igreja St. Francis Xavier, em Hyannis (MA), onde ele celebrava a missa dominical em português para imigrantes brasileiros. Algumas vezes, ele realizava missas para membros da comunidade em outras igrejas.

Não houveram acusações contra ele durante os últimos 10 anos em que o Padre Lima ministrou em Cape Code, segundo o Cape Cod Online.

A equipe de reportagem do BV entrou em contato com a administração da Diocese de Fall River na última terça-feira, 16 de dezembro, entretanto, até o fechamento dessa edição não conseguiu detalhes atualizados sobre o caso.

O Bispo George W. Coleman encorajou qualquer pessoa que, por ventura, possua informações que ajudem nas investigações que entre em contato com o “Connecticut Department of Children and Families através do tel.: 1-800-842-2388 ou ligue para Arlene McNamee, do Office of Child Protection of Catholic Social Services através do tel.: (508) 674-4681.

Fonte: Brazilian Voice