A grande maioria dos católicos de Miami apóia o famoso padre Alberto Cutié, que se apaixonou por uma mulher, e se declarou contra a proibição do casamento e das relações sexuais imposta aos sacerdotes pela Igreja, de acordo com uma pesquisa publicada nesta segunda-feira.

Ao todo, 74% dos entrevistados disseram ser a favor do fim da proibição do matrimônio para os sacerdotes católicos, enquanto 81% afirmaram considerar a imposição do celibato para o clero “é antiquado e inviável”.

O padre Alberto, cubano-americano de 40 anos considerado um dos sacerdotes hispânicos mais populares dos Estados Unidos, admitiu estar “apaixonado” por uma mulher, depois que uma revista de celebridades publicou fotos do casal se beijando na semana passada.

Segundo o resultado da pesquisa, a ampla maioria dos católicos de Miami “considera que o celibato já não faz sentido no século XXI”, explicou Fernand Amandi, da Bendixen e Associados, que realizou a sondagem para o jornal The Miami Herald.

A empresa entrevistou mais de 400 católicos do condado de Miami-Dade no último final de semana.

A pesquisa indica ainda que a revelação da vida dupla do sacerdote não afetou sua popularidade: 78% dos participantes afirmaram ter uma impressão “favorável” do padre Alberto, enquanto apenas 10% declararam ter uma visão “desfavorável” dele.

“O escândalo não teve impacto sério na popularidade do padre Cutié”, disse Amandi.

Em entrevista a um canal da rede CBS nesta segunda-feira, o padre Alberto confirmou que mantém uma relação romântica com a mulher há dois anos, e que neste momento está pensando sobre seus próximos passos: encerrar o relacionamento ou propor casamento.

Desde a publicação das fotos, o sacerdote foi “licenciado” temporariamente da paróquia que coordenava em Miami Beach.

Fonte: AFP