Um padre católico argentino foi condenado a 17 anos de prisão por abusar sexualmente de cinco meninas de 6 a 13 anos, que freqüentavam um restaurante para famílias pobres em uma paróquia da localidade de Pilar.

O padre Mario Napoleón Sasso, de 50 anos, cometeu os abusos entre 2002 e 2003.

O Tribunal Oral de San Isidro condenou Sasso por se aproveitar da condição de pobreza das vítimas, que iam ao restaurante de sua paróquia em busca de comida.

O padre ficou foragido um tempo no Paraguai, mas acabou preso em janeiro de 2004. Ele cumprirá pena num presídio sob condições especiais por sua posição de ministro de um culto religioso.

Os advogados de defesa das vítimas pediram uma pena de 35 anos e já afirmaram que vão apelar da sentença ante uma instância superior.

Fonte: AFP