Um sacerdote católico foi considerado culpado por abusar sexualmente de dois adolescentes com problemas mentais que estavam sob sua responsabilidade em uma instituição de auxílio a pessoas carentes.

A decisão unânime foi adotada pelo tribunal da cidade de Rancagua, 88 km ao sul de Santiago, que condenou o religioso Jorge Galaz, 42, ex-diretor do Lar Pequeno Cottolengo.

Segundo a sentença, a violação foi cometida contra dois adolescentes com problemas mentais, que tinham 13 e 17 anos na época em que os crimes ocorreram.

A condenação do religioso será divulgada nos próximos dias. O Ministério Público pediu a pena máxima para este tipo de crime, ou seja, 15 anos de reclusão.

A defesa de Galaz alegou sua inocência até o último minuto, argumentando que não acreditava que houvesse ocorrido algum abuso, o que foi descartado pelo promotor Luis Toledo e pelo tribunal.

O caso chocou a cidade de Rancagua, mas a Igreja Católica preferiu aguardar o desenvolvimento do processo antes de se manifestar.

Durante o processo, o sacerdote alegou inocência. “Sou um homem de Deus, entregue de corpo alma. Jamais cometi nenhum crime dos quais me acusam. Não abusei de nenhuma criança”, declarou Galaz há cerca de um mês.

Fonte: Folha Online