O sacerdote Fabio Osorio renunciou à batina durante um programa de TV, ao anunciar que tem uma filha de 14 meses e que foi ameaçado de morte.

“Minha vida afetiva e sexual, próprias da natureza do homem, não me permitem manter o celibato com toda responsabilidade e fidelidade com que fiz meus votos à Madre Igreja”, disse o sacerdote ao ler uma carta dirigida ao arcebispo de Bucaramanga, monsenhor Víctor López Forero.

Depois de lê-la, o religioso, que estava há 15 anos no sacerdócio, tirou a estola na frente dos telespectadores do programa “De frente con Alvaro Alférez”, transmitido por um canal do nordeste do país.

Atualmente Osorio era o encarregado de lidar com temas sociais na arquidiocese de Bucaramanga.

Sobre as ameaças, o sacerdote disse desconhecer a proveniência e que começaram quando setores da cidade insinuaram a sua possível candidatura à prefeitura de Bucaramanga, cidade na qual mora.

“Desde então comecei a receber ameaças, e ameaças fortes”, comentou Osorio, durante o programa televisivo.

Em entrevista a rádios locais, o sacerdote disse que as ameaças chegaram por intermediários ou telefonemas. Nelas, Osorio afirmou que o advertiram, entre outras coisas, para não falar sobre supostos fatos de corrupção ocorridos durante o processo de reconstrução de uma ampla zona da cidade atingida pelas chuvas em 2005.

“Também ameaçaram minha filha”, comentou o religioso de 38 anos, que pediu perdão à Igreja Católica por “situações que prejudicam seriamente a sua opção sacerdotal”.

O religioso também pediu para continuar vinculado à igreja como diácono permanente.

Fonte: ANSA