O padre Michael Pfleger ironizou a pré-candidata democrata à Presidência dos EUA Hillary Clinton no último domingo (25), em sermão na igreja freqüentada pelo também pré-candidato Barack Obama. Pfleger fingiu que era Hillary chorando porque “um homem negro estava roubando o seu show”.

O religioso era convidado na igreja de Obama e, mais tarde, desculpou-se por seus comentários “se eles ofenderam a senadora Clinton ou qualquer outra pessoa”.

Obama afirmou estar descontente com a brincadeira e desapontado com Pfleger por sua retórica “ultrapassada”: “[Os comentários do pastor] não refletem o país que eu vejo e nem o desejo das pessoas dos EUA de lutarem juntos em uma causa comum”, afirmou o senador por Illinois.

O cardeal Francis George, da Arquidiocese de Chicago, divulgou um comunicado nesta sexta-feira criticando o envolvimento de Pfleger na campanha política e o “ataque pessoal” a Hillary. George disse que o pastor havia prometido não mencionar o nome de nenhum candidato durante o sermão.

Pfleger é um padre católico branco que já cumprimentou o líder islâmico Louis Farrakhan e foi preso dezenas de vezes. Ele provocou desentendimentos com muitas pessoas que considerava prejudicar sua paróquia: de vendedores de armas a uma liga católica de esportes, segundo a agência Associated Press.

Atualmente, o padre anunciou seu apoio a Obama e contribuiu com doações à campanha do senador. Quando Obama estava no Legislativo de Illinois, ele ajudou a igreja de Pfleger com mais de US$ 200 mil (R$ 325,4 mil).

Pfleger é amigo do ex-pastor de Obama Jeremiah Wright, de quem o senador se afastou em abril devido a polêmicos discursos do religioso.

Wright afirmou em um sermão que os EUA são um país “essencialmente racista” e modificou a famosa frase “Deus abençoe a América” para “Deus amaldiçoe a América”.

Polêmico

O padre católico possui três filhos adotivos, um dos quais foi deixado na porta de sua igreja em 1998. Ele incentiva fiéis a doarem dinheiro para prostitutas e viciados em drogas para que eles compartilhes da “sua fé”.

Pfleger já ofereceu sua igreja para que personalidades controversas expressassem suas opiniões, como Farrakhan e o reverendo Al Sharpton, um ativista dos direitos civis.

Em março, a paróquia do padre recebeu o reverendo Wright como um herói, logo após o seu polêmico sermão.

No início de maio, Pfleger escreveu em um site que Obama e Wright são “dois amigos” que “respeita, admira e tem um profundo amor”.

Fonte: Folha Online