Menos de um mês após ser flagrado beijando uma mulher em Miami Beach, o famoso padre americano Alberto Cutié anunciou que irá mudar de igreja para poder dar continuidade à sua vida religiosa, sem a obrigação do celibato.

O “padre Alberto”, como é chamado na região de Miami, onde atua, decidiu deixar a batina e “tornar-se membro da Igreja Episcopal”. Ele também anunciou que vai se casar com a mulher com quem foi fotografado.

“Peço a todos que respeitem minha privacidade e acabem com tantas mentiras e sugestões malignas que se propagaram nos últimos dias”, disse Cutié, referindo-se ao escândalo provocado pela publicação de fotos nas quais o casal aparecia namorando na praia.

Ele apresentou oficialmente sua namorada, a guatemalteca Ruhama Buni Canellis, com quem se casará. Além disso. Após esconder seu relacionamento com o padre, Ruhama –divorciada e mãe de um menino de 14 anos– apareceu sorridente junto com Cutié na cerimônia de boas-vindas da nova igreja.

O padre, com 40 anos, é um dos sacerdotes hispânicos mais famosos dos Estados Unidos e tinha uma forte presença na mídia, com um programa na TV a cabo, uma coluna semanal no jornal “El Nuevo Herald” e um programa na Rádio Paz, a emissora católica da qual era diretor até a explosão do escândalo. Ele nasceu em Porto Rico, mas é de uma família cubana.

No começo deste mês, a revista de fofocas “TVNotas USA” publicou as fotos nas quais o padre aparece beijando a mulher na boca e deitado com ela na areia.

Naquele dia, ele foi ao canal Univisión, TV hispânica dos EUA, dizer que não se arrependia de ter quebrado os votos de celibato porque estava apaixonado. “Estou apaixonado por ela e ela por mim”, disse Cutié, lamentando, porém, ter ferido os sentimentos dos paroquianos. Cutié foi logo afastado de suas funções na Igreja de São Francisco de Sales.

O caso do padre Alberto é mais um de uma longa lista de escândalos na Igreja Católica americana, abalada desde 2002 por milhares de denúncias contra sacerdotes envolvidos em casos de abusos sexuais.

Fonte: Folha Online