Um padre americano responde na Justiça por ter roubado mais de R$ 3,8 milhões de duas paróquias e gastado todo o dinheiro com o namorado, um garoto de programa. Segundo o jornal NY Daily News, o sacerdote pagava mil doláres (cerca de R$ 3,8 mil) por sessões de sexo com o rapaz, identificado como Keith Crist. Eles vivem há seis anos um relacionamento com toques sadomasoquistas.

Ainda de acordo com a publicação, Keith exigia que o religioso o chamasse de “Mestre” e bebesse sua urina. O relacionamento entre eles foi denunciado este ano pela ex-namorada de Ketih, Tatyana Gudin, que tinha acumulado fotos e mensagens trocadas entre eles.

O padre, Peter Miqueli, chegou a comprar uma casa em Nova Jersey que custou mais de R$ 1 milhão para morar com o namorado. Usando o dinheiro roubado das duas igrejas que presidia, o sacerdote também teria comprado um BMW e uma banheira de hidromassagem.

Ele também foi acusado de roubar dinheiro doados pelos fiéis para o conserto de um órgão da igreja, e de usar drogas ilícitas. O dinheiro coletado durante a missa era coletado pelo padre e, ao invés de ser depositado em uma conta bancária da igreja, era roubado por Miqueli.

“Esta ação busca para finalmente colocar um fim a essa conduta verdadeiramente pecaminosa”, diz trecho da ação judicial contra o padre Miqueli. No Facebook, fiéis das duas igrejas roubadas pelo religioso começaram uma campanha pedindo que o padre seja afastado.

“Acima de tudo, queremos que ele seja removido como nosso pastor – seja daqui ou de qualquer outro lugar na arquidiocese. Ele é como um câncer, e a melhor coisa a ser feita com um câncer é erradicá-lo”, disse Michael Dowd, advogado que representa os fiéis no processo.

[b]Fonte: Correio 24 Horas[/b]