O padre católico Nguyen Van Ly, 60, foi condenado nesta sexta-feira por um tribunal de justiça vietnamita a oito anos de prisão por “propaganda contra a República Socialista” do Vietnã.

Outros quatro vietnamitas também foram condenados pelo mesmo crime e pela formação de um partido político ilegal.

“Foi um julgamento comunista e com justiça comunista. A lei da selva!”, gritou o padre no começo da sessão. Depois do protesto, um guarda tapou a boca do réu, que foi retirado da sala. O julgamento durou apenas um dia.

Nguyen Phong, 32, condenado a seis anos de prisão, negou ter fundado o Partido Progressista e prometeu continuar a luta democrática “pelo bem da nação e do povo do Vietnã”.

Um assistente do sacerdote, Nguyen Binh Thanh, 55, foi condenado a cinco anos.

Os acusados foram detidos no mês passado. Na casa do sacerdote, em Hue, a polícia apreendeu um computador e documentos.

Ly esteve preso entre 1983 e 1992. Nove anos mais tarde voltou a ser detido, julgado e condenado a 15 anos de prisão por “atacar a união nacional”, de acordo com o artigo 87 do Código Penal. Há dois anos, ele se beneficiou de uma anistia.

Os promotores argumentaram hoje que “seu crime prejudica a segurança nacional e suas ações servem às forças hostis e reacionárias do exterior, contra o governo do Vietnã”.

Fonte: Folha Online