O padre da Igreja Católica Hidalberto Henrique Guimarães, 48 anos, pároco da cidade de Murici, na periferia da capital alagoana, foi encontrado morto, em estado inicial de composição, em sua residência na noite deste sábado (7).

Guimarães estava desaparecido desde a última quinta-feira (5), quando participou de uma reunião do Clero e foi visto pela última vez. De acordo com a polícia, a vítima foi esfaqueada e sofreu golpes a pauladas. A polícia trabalha com a suspeita de que o padre foi vítima de um crime de vingança ou passional, já que não há marcas de arrombamento no imóvel ou de fuga pelo quintal da casa, que indicassem assalto.

O padre celebraria uma missa na cidade de Branquinha, na noite deste sábado (07), às 19h, e não compareceu. Um afilhado do padre, de nome não divulgado, ficou preocupado e se dirigiu até a residência à procura de informações. Chegando lá, chamou e não foi atendido, entrou no imóvel e avistou sangue e o corpo do padre no chão da cozinha.

Pelos primeiros levantamentos, a porta da frente foi aberta e fechada com a chave que foi encontrada jogada na área, como se os criminosos tivessem arremessado após deixarem o imóvel. Na casa foram encontradas marcas de sangue na parede e no chão da sala e da cozinha. Os móveis também estavam revirados.

Os peritos disseram que no corpo do padre Guimarães havia muitas perfurações, concentradas nas regiões abdominal e torácica, além de outras na cabeça, coxa e braços. Os assassinos também teriam tentado decapitar o sacerdote.

O delegado-geral da Polícia Civil do Estado, Marcílio Barenco, afirmou ter identificado várias pegadas na parte interna da casa, o que levantou a suspeita da participação de mais de uma pessoa no ato criminoso. Segundo o delegado José Edson, pelas primeiras avaliações, os criminosos se lavaram e também lavaram as mãos antes de deixar a casa do padre Guimarães.

O Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes, demonstrou perplexidade diante do fato. “Estamos perplexos, não somente o clero, mas toda a sociedade alagoana”, disse. O secretário de Segurança Pública de Alagoas, Paulo Rubim, não quis comentar e disse preferir que o delegado Robervaldo Davino se pronunciasse quando achar necessário, já que a ele caberá a investigação.

O corpo do padre é velado neste domingo (8) em Murici e será levado para Maceió nesta segunda-feira (9), onde será enterrado no Cemitério de São José, no bairro do Trapiche da Barra.

Fonte: G1