O sacerdote católico de rito caldeu iraquiano Nawzat Hanna, seqüestrado dia 19 de maio, em Bagdá, foi libertado ontem à noite por seus seqüestradores, segundo informou hoje o serviço de informação religiosa da Igreja italiana (“SIR”).

A agência católica não dá mais detalhes sobre a libertação do pároco da igreja de Mar Pithion, no bairro de Baladiyat. Ele havia sido seqüestrado quando saía da casa de um doente.

Em declarações à agência “SIR”, o arcebispo da cidade iraquiana de Kirkuk, Louis Sako, manifestou sua alegria pela libertação do sacerdote. Mas denunciou em clima de perseguição aos cristãos no país.

“É o sétimo sacerdote seqüestrado em Bagdá. Vivemos esquecidos e muitas famílias cristãs em Bagdá e Mossul têm que deixar tudo o que possuem porque são ameaçadas e obrigadas a ir embora”, disse.

Segundo o arcebispo, em Kirkuk a situação é melhor, mas em Bagdá e Mossul os cristãos não podem viver. “Não há autoridade nem ordem, os terroristas estão por todos lados e controlam muitos bairros”, disse.

Em novembro de 2006, o pároco católico também de rito caldeu da igreja de Santo Elias em Bagdá, Doglas Yousef al-Bazy, foi seqüestrado e libertado nove dias depois.

Em janeiro de 2005, o arcebispo Basile Georges Casmoussa, do rito sírio, foi mantido em cativeiro durante um dia, na localidade de Mossul.

Fonte: EFE