O padre Ludovico Pedro Kozlowski, de 75 anos, é suspeito de praticar abuso sexual contra um adolescente de 15 anos.

O abuso teria acontecido no Seminário Nossa Senhora Aparecida em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul em 2011.

O adolescente, hoje com 16 anos, era seminarista e após sofrer o abuso, teria desistido de seguir a carreira de padre, largou o seminário e passou por tratamento psicológico, segundo aponta do jornal Zero Hora.

O promotor de justiça da cidade aguarda um laudo psicossocial para decidir se acusa Kozlowski por estupro de vulnerável. A diocese de Caxias do Sul espera pela definição da justiça para avaliar a possibilidade de enviar ao Tribunal Eclesiástico em Roma.

O jornal afirma que o menino só reportou o caso aos pais no ano passado, quando denunciaram o padre à polícia.

O bispo Dom Alessandro Ruffinoni diz que, assim que a diretoria do Seminário soube do ocorrido, afastou o padre de suas atividades.

“A primeira coisa que fizemos foi encaminhá-lo para um tratamento psicológico em Curitiba. Lá, ele passou uns dois meses, mas se sentia muito mal, não comia direito”, contou Dom Alessandro.

Segundo o bispo, a igreja está à disposição da polícia para todo tipo de esclarecimento, mas o padre Kozlowski está com estado de saúde debilitado e psicologicamente abalado.

“Eu fui pessoalmente encontrar a família e pedi desculpas. A diocese também sofre com a acusação de pedofilia, assim como a família. Mas não poderíamos prever um caso como este. Apesar de ter sido apenas uma tentativa, nada tira a gravidade do fato”, disse o bispo.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]