Quando se preparava para fazer as orações da manhã, já a caminho do altar, o padre Domingos Sávio dos Santos, responsável pela paróquia Santo Expedito, no bairro Heliópolis, região Norte da capital, teve uma grande surpresa.

Por volta das 9h de ontem, em um dos bancos da igreja, o religioso encontrou uma sacola plástica com quase R$ 2.000 em dinheiro. Apesar da surpresa, o padre Sávio não acredita que o dinheiro tenha sido resultado de uma doação, já que o banco onde ele foi localizado estava bem longe da caixa de ofertas. Para o religioso, o mais provável é que um fiel tenha esquecido a sacola com o dinheiro, depois de fazer suas preces. “Eu estava com o bispo e um ministro.

Assim que nos aproximamos do centro da igreja, vi a sacola. Ela estava bem volumosa, o que chamou a minha atenção”, disse o padre. O pároco informou que, além das notas, ainda encontrou objetos pessoais na sacola, o que poderá facilitar a devolução, caso o verdadeiro dono o procure. Nenhum documento foi achado no embrulho. De acordo com o padre Sávio, as portas da igreja são abertas todas as manhãs às 7h e fechadas às 19h. As missas são celebras às quartas-feiras e aos domingos. Durante todo o dia, várias pessoas costumam passar pela igreja na ida ou na volta do trabalho para fazer suas orações. Para o pároco, a única coisa a fazer agora é esperar que a pessoa retorne. “Fico preocupado. Esse dinheiro pode ser um acerto de um emprego, um empréstimo ou até mesmo para o pagamento de uma dívida”, comentou.

Perdas

O religioso informou ainda que é comum os fiéis esquecerem os pertences nos bancos. Ele disse já ter encontrado um relógio de ouro, várias sombrinhas, sacolas de compras e blusas de frio. No entanto, conforme o pároco explicou, nunca foi deixado uma sacola ou carteira com uma quantia tão significante de dinheiro. “A quantia é grande. Se fosse uma oferta, seria bem recebida em nossa paróquia. No entanto, sabemos que foi alguém bem distraído. Vamos rezar para o dono do dinheiro voltar”. O padre deixou um lembrete aos espertinhos. Somente o verdadeiro dono poderá descrever os objetos que estavam na sacola. A paróquia Santo Expedito, do bairro Heliópolis, pertence à Igreja Católica Carismática. Ela está na região há cinco anos.

Fonte: O Tempo