Os 34 mil habitantes de Cerquilho, na região de Sorocaba, ainda estão atordoados: o padre Aylton Miguel Fama, de 40 anos, muito conhecido na cidade, abandonou a paróquia de São Benedito, que dirigia há seis anos, e levou consigo uma das mais assíduas fiéis da igreja.

O problema é que a mulher, de 38 anos, é casada e mãe de dois filhos.

O escândalo estourou na semana passada, quando o marido teria surpreendido sua mulher na casa usada pelo pároco. Foi necessária a intervenção da Polícia Militar e da Guarda Municipal para evitar que o padre fosse agredido pelo marido e familiares dela. Ele e a mulher deixaram a cidade. Ela levou consigo a filha menor, de seis anos. O padre estava à frente da construção da nova igreja da paróquia, a segunda maior da cidade, perdendo apenas para a paróquia da matriz.

Em nota, o arcebispo de Sorocaba, d. Eduardo Benes de Sales Rodrigues, considerou “constrangedoras para todos os católicos fiéis à igreja” as circunstâncias do abandono da paróquia e disse que o padre foi destituído de suas funções sacerdotais, segundo a norma do Direito Eclesiástico. “A gravidade de sua atitude é ainda maior por envolver família e pessoas, ovelhas do rebanho a ele confiado.”

Segundo o arcebispo, a Arquidiocese está providenciando acompanhamento espiritual e psicológico ao padre “para que possa ajudá-lo a rever suas condutas”. O local onde o padre se encontra não foi revelado.

O arcebispo informou que até a nomeação de um novo pároco, os conselhos formados por leigos irão administrar as obras da igreja. “O episódio causa grande sofrimento a todos nós e à família envolvida, que deve receber de todos o apoio necessário em tão dolorosa situação”, diz, na nota, o arcebispo.

Fonte: Estadão